Sisu: candidatos dizem que ‘brecha’ via QR Code possibilitou ver resultado antecipado

Candidatos relataram na tarde desta quinta (15) que conseguiram acessar os resultados do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) já na véspera da data programada para a divulgação – esta sexta (16), às 8h da manhã.

O Ministério da Educação (MEC) ainda não respondeu se houve uma falha e se os resultados visualizados representam a classificação real dos estudantes.

Próximo das 17h, o site do Sisu apareceu com a seguinte mensagem: “Fique tranquilo. Em breve você poderá acessar a plataforma do Sisu”. O login do candidato já estava indisponível.

Segundo os relatos, a brecha era explorada da seguinte forma:

  • no site do Sisu, o candidato logado tem uma opção para imprimir seu comprovante de inscrição
  • ao clicar nesse botão, aparecia uma opção de QR Code tanto para primeira quanto para a segunda opção de curso + universidade
  • ao usar um leitor de QR Code, o candidato visualiza o que seria sua classificação na chamada regular do Sisu

Brecha pode ter possibilitado ver resultados do Sisu antecipadamente — Foto: Arquivo pessoal

Uma estudante de 20 anos, do Estado do Macapá (AP), disse que descobriu por acaso a possibilidade de acesso ao ver uma postagem no Twitter.

Ela conta que concorre a uma vaga em ciências biológicas (primeira opção) e gastronomia (segunda), ambos os cursos na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). De acordo com o que apareceu para a candidata, ela teria sido aprovada na segunda opção.

Turbulências no Sisu 2021

 

Em menos de uma semana, o MEC prorrogou o prazo final de inscrições e derrubou o sistema que foi chamado de “nota fantasma” ou “dupla classificação”.

Na prática, a pasta anunciou a retomada do formato que era adotado até 2019. O MEC declarou que a mudança atende a “apelos contrários” ao sistema usado em 2020 e mantido inicialmente neste ano – mas nega que o cálculo diferente tenha levado a alguma ocupação indevida de vagas no ensino superior.

Antes de ser encerrada pelo MEC, a “nota fantasma” chegou a ser alvo de representações de deputados federais e de uma ação conjunta movida por entidades estudantis.

O método de “dupla classificação” ou “nota fantasma” funcionava da seguinte forma:

  • O Sisu é um sistema que usa as notas do Enem para que candidatos tentem uma vaga nas universidades públicas brasileiras
  • Durante os 4 dias em que o Sisu fica aberto para inscrições, os estudantes podem mudar livremente as duas opções de curso + universidade que indicam em seu perfil (embora, ao final, a matrícula será feita em apenas uma delas)
  • O sistema é frequentemente comparado a um leilão. A pontuação dos candidatos que se inscrevem em um curso vai determinar a nota de corte
  • Ou seja, nesse período de 4 dias, a entrada de candidatos com pontuações altas pode alterar a lista de aprovados de uma hora para outra e, consequentemente, a nota de corte
  • Até 2020, a concorrência pelas vagas só levava em conta a primeira opção assinalada pelo candidato. Mas, no Sisu passado, o MEC introduziu sem aviso um novo modelo em que as duas opções são computadas na disputa por vagas
  • Como a matrícula só será feita em apenas uma opção de curso + universidade, o desempenho no Enem de um candidato podia inflar artificialmente as notas de corte já que a outra escolha do aluno não valerá após o fechamento do sistema

 

Mário Almeida


Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *


Atitude Empreendimentos



Nossas Redes Sociais


FALE CONOSCOCONTATO