Governo do Ceará pretende pagar inscrição de estudantes da rede estadual que farão o ENEM

O governador do Ceará, Camilo Santana, anunciou que envia para a Assembleia Legislativa projeto de lei para realizar o pagamento da inscrição do Enem 202 aos egressos da rede pública estadual de ensino que, por conta da pandemia, não prestaram a prova no ano passado e este ano tiveram seus pedidos de isenção indeferidos pelo Governo Federal. O anúncio foi feito pelo governador ao lado da vice-governadora do Estado, Izolda Cela, e a secretária de Educação, Eliana Estrela.

“O Ceará tem galgado nesses anos uma política meritocrática e consequentemente vem colhendo resultados na educação. Estamos aqui hoje para encaminhar para a Assembleia Legislativa, sob regime de urgência, o pedido para que o Estado pague a inscrição, no valor de R$ 85, para todo aluno de escola pública que teve o pedido de isenção da inscrição indeferido pelo Governo Federal. Incluindo todos os alunos que concluíram a 3ª série do Ensino Médio em 2020, mas que não fizeram ainda o Enem, por conta da pandemia, e precisam se inscrever”, justificou o governador.

O pedido do governador deve entrar em votação na quinta-feira (1º), na Assembleia Legislativa do Ceará, para, após a aprovação, estar disponível a tempo da inscrição dos alunos no Enem, que se encerra no próximo dia 14 de julho. “O Governo Federal negou essa isenção para pelo menos 3.800 alunos cearenses, e isso é um absurdo que não podemos aceitar. Não podemos prejudicar esses jovens”, ressaltou o governador, que informou ainda que o Ceará tem um histórico expressivo de alunos inscritos no Enem, entre 95 e 98%, um dos maiores índices do Brasil.

Em sua fala, Camilo Santana citou várias das ações implementadas em prol da educação, tornando muitas delas políticas públicas permanentes, principalmente em meio à pandemia do coronavírus. “Distribuímos kits alimentação e cartão alimentação; 338 mil alunos do ensino médio receberam chips para se conectarem e terem acesso às aulas remotas, para que o aluno não se prejudicasse durante a pandemia. Adquirimos 150 mil tablets, personalizados e que permitem boa conectividade de vídeo, desses já entregamos 100 mil para alunos de 1ª série do Ensino Médio e para as Credes, e estamos aguardando para entregar os outros. Tudo isso são ferramentas para agregar aos estudos e ao acesso à informação dos alunos cearenses”, listou.

O governador também informou que o Estado está fazendo nova licitação, para alunos de 2ª Série do Ensino Médio, cerca de 170 mil tablets, com previsão de estender a iniciativa também aos alunos de 3ª série. “São investimentos que o Estado tem feito para colocar a educação do Ceará conectada, mais moderna, agregando valor ao aprendizado na rede pública. Para os professores, vale lembrar que defendemos e conseguimos incluí-los na vacinação como prioridade, e agora vamos trabalhar para a segunda dose ser aplicada o mais rápido possível. Por mérito e confiança, e para retornar às aulas com total segurança, desejamos que todos os profissionais de educação estejam vacinados no Ceará”, explicou Camilo Santana.

A secretária Eliana Estrela destaca que o Governo do Ceará foi surpreendido com a decisão do Governo Federal em não isentar aos alunos de escolas públicas da inscrição no Enem. “Aqui no Ceará nós temos essa sensibilidade e prioridade na educação. Temos histórico e dedicação ao Enem, que não é só no dia da prova. É uma rotina. Desde o primeiro dia de aula já estamos nos planejando para o Enem, agilizando a documentação dos alunos, aulões, motivação, redação. No dia da prova disponibilizamos transporte, caneta e água e todo o apoio para que o nosso aluno participe como deve do Enem. E essa inscrição é um ato de fortalecimento da educação cearense, que sabemos que transforma e constrói”, explicou a titular da Educação no Estado.

Fonte: Seduc CE

Mário Almeida


Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *


Atitude Empreendimentos



Nossas Redes Sociais


FALE CONOSCOCONTATO