Arquivos Brasil - FM Atitude

Mário Almeida23 de janeiro de 2021
secretario.jpg

5min6760

A comarca da cidade de Pires do Rio, a 148 km de Goiânia, acolheu um pedido do Ministério Público do Estado de Goiás e mandou afastar do cargo o secretário municipal de Saúde do município, Assis Silva Filho, por ter furado a fila da vacina contra a covid-19 e imunizado a própria esposa para, em suas palavras, “preservar a saúde da mulher da minha vida”. Assis Silva, que também é pastor da igreja Vitória em Cristo, admitiu o erro ao se comparar com os equívocos cometidos por “grandes vultos da Bíblia”. Sua intenção, disse, era apenas de resguardar a vida da mulher.

“Foi com intuito de resguardar e preservar a saúde e a vida da mulher da minha vida. Sou capaz de dar minha própria vida por ela”, afirmou na ocasião. Diante do escândalo, a 1ª Promotoria de Justiça de Pires do Rio protocolou na comarca local uma medida cautelar criminal pedindo o afastamento do secretário. O pedido foi acolhido pelo juiz José dos Reis Pinheiro Lemes no final da tarde de ontem. A decisão obriga o afastamento do cargo por 60 dias. “Conforme apurações iniciais, ele determinou a quebra da ordem da vacinação da covid-19 para beneficiar a própria esposa, que não se encaixava no grupo prioritário neste momento”, diz o MP-GO em nota.

Segundo o MP, a vacinação em Pires do Rio prioriza apenas profissionais da saúde, pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência, maiores de 18 anos com deficiência, moradores em residências inclusivas e a população indígena. A decisão de Assis Silva de vacinar a mulher, segundo o promotor Marcelo Borges Amaral, pode constituir “crime de abuso de autoridade e prevaricação”, uma vez que o secretário confessou a utilização do cargo movido por sentimentos pessoais. As investigações prosseguem durante o afastamento do secretário. O MP também instaurou procedimento para apurar possível prática de improbidade administrativa. “O afastamento teve por objetivo impedir que.

 

 

Pedido de perdão

 

 

Pedido de perdão “Hoje, de uma maneira especial, eu venho prestar contas dos meus atos. Antes de qualquer coisa, eu quero pedir perdão para Deus, pedir perdão para a igreja, pedir desculpas aos que confiaram no projeto e colocaram na minha mão. Eu quero pedir desculpas a toda população de Pires do Rio”, disse o secretário em uma live ao lado da mulher, que também é pastora Assis Silva, que não falou se ele próprio tomou a vacina, afirmou que vereadores da cidade pediram explicações e que ele prestará contas à Justiça. “Estarei prestando contas à Justiça. Grandes vultos da Bíblia também erraram. E eu também cometi, por um vacilo e descuido, um erro. Quero me redimir por tudo o que por tudo o que aconteceu. Peço desculpas a Deus e peço a Ele, imploro a Ele que aceite as minhas escusas. E foi com intuito apenas de resguardar e preservar a saúde e a vida da mulher da minha vida. Sou capaz de dar a minha própria vida por ela”, justificou.

 

Fonte: Uol Notícias


Mário Almeida22 de janeiro de 2021
Telescopio-2.jpg

4min1970

O céu de 7 de janeiro de 2021 não passou desapercebido para Micaele Gomes, de 16 anos, que faz o terceiro ano do ensino médio na rede pública de São Paulo.

Em imagens captadas pelo telescópio do projeto Pan-STARRS1, que fica no alto de um vulcão inativo de cerca de 3 mil metros de altitude no Havaí, um corpo celeste com trajetória em linha reta chamou a atenção ds Micaele.

Era um asteroide que foi, provisoriamente, identificado como P11bEV1.

A estudante faz parte do Projeto Caça Asteroides, ligado à Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), que foi selecionado por um programa da Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), o IASC (International Astronomical Search Collaboration). A proposta da Nasa é contar com a cooperação de cientistas e cidadãos do mundo inteiro para descobertas sobre o universo.

Micaele Gomes, que já participou da Olimpíada Brasileria de Astronomia e Astronáutica (OBA) diz que se orgulha de representar estudantes de escola pública e que espera inspirar outras meninas. ”Poder contribuir para a ciência desta forma representa muito a realização de um sonho. É muito legal ter um pouco dos meus sonhos registrados no espaço.’

A estudante integra um grupo, de cinco alunos, organizado pela graduanda em Física da Unesp, Helena Ferreira Carrara, como parte do projeto de iniciação científica da graduação e do Observatório de Astronomia de Bauru.

Os achados do projeto Caça Asteroides vão contribuir para os estudos de astrônomos profissionais, que nem sempre têm tempo para analisar as imagens capturadas pelos telescópios, destaca Helena.

Ela explica que a criação do projeto foi inspirada na filosofia da ciência cidadã e na inclusão de alunos, especialmente da rede pública, que enfrentam desafios para aprofundar pesquisas, mas que podem ajudar as agências espaciais, como é o caso de Micaele.

O asteroide descoberto por Micaele Gomes agora terá as características e rota analisadas por astrônomos profissionais, trabalho que pode levar até cinco anos.

Após esse período, o estudo será catalogado pelo Minor Planet Center (Harvard) e então poderá ser batizado pela descobridora. A proposta será então levada à União Astronômica Internacional, órgão que designa oficialmente essas identificações.

Sobre o nome, Micaele diz que, com calma, nos próximos dias ou meses, pensará em algo especial que represente bem este momento.

 

Fonte: O Povo


Mário Almeida19 de janeiro de 2021
prf.jpg

5min6750

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) abriu concurso público para 1,5 mil vagas de policial rodoviário federal. O salário é de R$ 9.899,88.

O concurso é de abrangência nacional, sendo ofertadas aos novos policiais as oportunidades de lotação de acordo com a necessidade do serviço e o interesse público. As vagas disponíveis para lotação serão oferecidas primeiramente aos servidores já em exercício, mediante processo seletivo interno, e o saldo de vagas remanescentes será oferecido aos novos policiais.

O candidato deve ter graduação em qualquer área de formação e ter Carteira Nacional de Habilitação ou permissão para dirigir veículo automotor na categoria “B” ou superior.

As inscrições devem ser feitas de 25 de janeiro a 12 de fevereiro pelo site https://www.cebraspe.org.br/concursos/PRF_21. A taxa é de R$ 180.

Do total de vagas, 1.125 são para ampla concorrência, 300 para candidatos negros e 75 para candidatos com deficiência.

O concurso terá as seguintes fases:

  • Prova objetiva e prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório;
  • Exame de aptidão física, de caráter eliminatório;
  • Avaliação psicológica, de caráter eliminatório;
  • Apresentação de documentos, de caráter eliminatório;
  • Avaliação de saúde, de caráter eliminatório;
  • Avaliação de títulos, de caráter classificatório.
  • Investigação social, de caráter eliminatório, que se estenderá durante todo o concurso.
  • Curso de Formação Policial (CFP), de caráter eliminatório e classificatório, a ser realizado na Universidade Corporativa da Polícia Rodoviária Federal (UniPRF), na cidade de Florianópolis ou em outros locais indicados pela PRF, e contemplará a realização de provas teóricas e práticas.

 

Todas as fases, com exceção do curso de formação, serão realizadas nas capitais de todos os estados e do Distrito Federal.

As provas objetiva e discursiva serão em 28 de março. O curso de formação, após todas as etapas da seleção, começa em 10 de agosto.

Fonte: G1.com


Wesley Martins19 de janeiro de 2021
240_F_397271940_eIMKz4tzTOB36uWJzC51nFW6HzGnQ38v.jpg

1min240

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020 contou com 2,84 milhões de abstenções, ou 51,5%, pouco mais da metade dos inscritos. As faltas geraram um desperdício de R$ 332,5 milhões aos cofres públicos, considerando que a prova custou, neste ano, R$ 117 por aluno.

No último domingo (17/1), o ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse que a abstenção no primeiro dia do Enem de 2020 foi “um pouquinho acima” de 50%. Para o ministro, apesar de mais da metade dos candidatos não terem aparecido, o Enem foi “um sucesso”. A abstenção do último Enem antes da pandemia foi 23%.

Um total de 2.680.697 candidatos fizeram a prova – 48,5% dos inscritos. O segundo dia do Enem ocorre no próximo domingo (24/1).

FONTE: Metrópoles


Mário Almeida19 de janeiro de 2021
Caixa.jpg

6min4180

Cerca de 3,4 milhões de trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro começam a receber, nesta terça-feira, 19, R$ 2,75 bilhões referentes ao abono salarial do calendário 2020/2021 – ano-base 2019. A Caixa Econômica Federal depositará o dinheiro na conta corrente informada ou na conta poupança digital, usada para pagar o auxílio emergencial, para quem não é cliente do banco. As poupanças digitais podem ser movimentadas pelo aplicativo Caixa Tem.

Disponível para telefones celulares, o aplicativo permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), boletos bancários, compras com cartão de débito virtual pela internet e compras com código QR (versão avançada do código de barras) em estabelecimentos parceiros. Para os funcionários públicos ou trabalhadores de empresas estatais, vale o dígito final do número de inscrição do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep).

A partir da quarta-feira, 20, fica disponível o crédito para inscritos com final 5. O Pasep é pago pelo Banco do Brasil. Os trabalhadores que nasceram entre julho e dezembro receberam o abono salarial do PIS em 2020. Os nascidos entre janeiro e junho terão o recurso disponível para saque em 2021. Os servidores públicos com final de inscrição do Pasep entre 0 e 4 também receberam em 2020. Já as inscrições entre 5 e 9 ficaram para 2021. O fechamento do calendário de pagamento do exercício 2020/2021 ocorre em 30 de junho.

Quem tem direito

Tem direito ao abono salarial 2020/2021 o trabalhador inscrito no Programa de Integração Social (PIS) há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2019, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos. Também é necessário que os dados tenham sido informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) ou e-Social, conforme categoria da empresa.

Recebem o benefício na Caixa os trabalhadores vinculados a entidades e empresas privadas. Em todo o calendário 2020/2021, a Caixa deve disponibilizar R$ 15,8 bilhões para 20,5 milhões trabalhadores. As pessoas que trabalham no setor público têm inscrição no Pasep e recebem o benefício no Banco do Brasil (BB). Neste caso, o beneficiário pode optar por realizar transferência (TED) para conta de mesma titularidade em outras instituições financeiras, nos terminais de autoatendimento do BB ou no portal www.bb.com.br/pasep, ou ainda efetuar o saque nos caixas das agências.

Para o exercício atual, o BB identificou abono salarial para 2,7 milhões trabalhadores vinculados ao Pasep, totalizando R$ 2,57 bilhões. Desse montante, aproximadamente 1,2 milhão são correntistas ou poupadores do BB, e aqueles com final de inscrição de 0 a 4 receberam seus créditos em conta antecipadamente no dia 30 de junho, no total de R$ 580 milhões, segundo a instituição financeira.

 

 

Abono salarial anterior

 

 

Os trabalhadores que não sacaram o abono salarial do calendário anterior (2019/2020), finalizado em 29 de maio deste ano, ainda podem retirar os valores. O prazo vai até 30 de junho de 2021. O saque pode ser feito nos canais de atendimento com cartão e senha Cidadão, ou nas agências da Caixa.

A consulta sobre o direito ao benefício, bem como ao valor à disposição, pode ser feita por meio do aplicativo Caixa Trabalhador, pelo atendimento Caixa ao Cidadão (0800-726-0207) e no site do banco, na área do abono. No caso do Pasep, os recursos ficam disponíveis para saque por cinco anos, contados do encerramento do exercício, de acordo com resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). Os abonos não sacados são transferidos automaticamente para o próximo exercício, sem necessidade de solicitação do trabalhador.

 

Fonte: O Povo


Mário Almeida18 de janeiro de 2021
familia-DF.jpg

3min22230

O carro de uma família que saiu do Distrito Federal (DF), no último dia 12, com destino a Sobral, no interior do Ceará, foi encontrado em um penhasco na Bahia, com três corpos no interior do veículo. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) da Bahia foi informada sobre o caso por volta de 12h45 desta segunda-feira (18), e a confirmação da identificação do carro — que pertencia a um cearense — aconteceu por meio da placa do veículo.

O carro foi encontrado em uma ribanceira, a 22 km de Formosa do Rio Preto, com três cadáveres em seu interior, informou a Polícia Civil do DF. O cearense, natural de Santana do Acaraú, José Cleves Araújo, Thatiele Cardoso Aures (namorada dele), e a estudante Giovana Araújo (filha do cearense) saíram de Brasília, na madrugada da terça-feira (12), para passar férias no Ceará e desapareceram logo em seguida.

A Polícia Civil do DF informou que o último contato das vítimas com a família foi realizado por volta de 6h31 do mesmo dia, por Giovanna, que encaminhou mensagem informando que já estavam no estado da Bahia.

Ainda não há confirmação da identidade dos três corpos encontrados no veículo devido ao difícil acesso à área onde o carro foi localizado. Contudo, A PRF-BA informou que o Samu foi acionado e confirmou os três óbitos. O Corpo de Bombeiros da Bahia também foi acionado.

Fonte: G1/CE


Mário Almeida16 de janeiro de 2021
Congresso-1280x548.jpg

10min1190

Diante do caos na saúde pública, intensificada pelo cenário de guerra em Manaus, parlamentares pressionam o comando da Câmara dos Deputados e do Senado Federal a suspender o recesso parlamentar e retomar os trabalhos para oferecer estratégias de solução para a crise no País.

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) chegou a protocolar requerimento para a suspensão das férias parlamentares. Senadores e deputados federais foram convidados a assinar o termo.

Ainda ontem, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encaminhou ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), pedido de convocação da Comissão Representativa para discutir a situação de Manaus e o processo de vacinação no País.

“É mais do que urgente que o Parlamento esteja de portas abertas, trabalhando para encontrar soluções para essa situação tão drástica e urgente. Não podemos nos omitir”, escreveu o deputado nas redes sociais.

A cobrança de uma ação mais efetiva do parlamento nas questões nacionais vem na teia da independência do Congresso diante do Palácio do Planalto. O clima de hostilidade entre Executivo e Legislativo tem dado o tom da relação entre os poderes nos últimos meses.

 

 

 

Bancada

 

 

Parlamentares cearenses consultados pela reportagem engrossam o coro pela retomada dos trabalhos em Brasília a qualquer momento. “Estamos buscando, junto ao presidente da Câmara, agir como parlamento, fazer todas as medidas que estiverem ao nosso alcance”, declarou o deputado federal André Figueiredo (PDT).

Na próxima segunda-feira (18), o deputado federal Pedro Bezerra (PTB) diz que vai desembarcar em Brasília para pressionar pela volta dos trabalhos. “Estamos vivendo um momento extraordinário no sentido ruim da palavra”, lamentou o petebista.

Denis Bezerra (PSB) argumentou ser “urgente as Casas Legislativas voltarem aos trabalhos”. Ele diz que “a extensão do estado de calamidade, a continuidade do auxílio emergencial, as vacinas e o caos no Amazonas são pautas que não aguentam esperar mais nem um minuto”, e que por isso, assinou requerimento do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) de convocação de sessão legislativa extraordinária.

“É hora de o Congresso, novamente, assumir o protagonismo”, declarou.

“Estamos consternados com a situação do Amazonas e sabemos que agora não é hora de recesso, mas de trabalho”, afirmou Heitor Freire (PSL).

O petista José Airton disse que o retorno é tarefa urgente. “Diante do caos que estamos vivendo, precisamos voltar com urgência para o Congresso Nacional. O Brasil está sem governo. Precisamos colocar em pauta o auxílio emergencial, a vacinação e o impeachment de Bolsonaro”.

Já Capitão Wagner (Pros) afirmou que o “Brasil todo tem de se unir em torno desse problema de Manaus, não só o parlamento federal, mas o executivo federal, a justiça, governos do Estado e Prefeitura”. “Se necessário for uma sessão extraordinária nós estaremos à disposição”, declarou.

Líderes do Centrão, por outro lado, dizem que um retorno seria justificável apenas se Maia apresentasse uma solução orçamentária. Eles lembram que não há como aprovar, neste momento, o orçamento para este ano sem que a Comissão Mista do Orçamento seja instalada, já que não há acordo para que isso ocorra. E ressaltam que votar uma matéria em plenário exigiria consenso entre deputados e senadores, o que, acreditam, dificilmente seria viabilizado.

 

 

 

Comissão

 

 

 

Diante da cobrança por maior participação do Congresso Nacional nas questões da crise sanitária no País, o Partido dos Trabalhadores oficializou ontem pedido para que seja instituída comissão representativa do Congresso – colegiado de parlamentares temporário para atuar durante períodos de recesso em situações excepcionais e urgentes – a fim de tratar de temas pertinentes a respeito da pandemia da covid-19.

Em ofício aos presidentes da Câmara e do Senado, o PT afirma ser necessário, “na falta de um plano logístico conduzido pelo Governo Federal”, “mapear e acompanhar os estágios de outros Estados e municípios, como forma de antecipar e prevenir eventuais situações de colapsos”, bem como “definir estratégias para auxiliar o Estado do Amazonas a superar o colapso do sistema da saúde”.

O partido também cita “a sabotagem do Governo Federal às medidas necessárias”, “a expressiva elevação da média móvel de mortes e de pessoas contaminadas por Covid-19” e a “omissão e a inércia do Governo Federal em assumir sua responsabilidade constitucional de coordenar as ações de enfrentamento e controle da pandemia da Covid-19 e de fornecer ajuda eficaz e em tempo hábil aos entes federados em situação de colapso” entre as medidas para justificar a convocação do colegiado.

Ainda ontem, pelas redes sociais, a presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), afirmou que a crise sanitária e a intimação do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, são os motivos para o fim do recesso.

Além disso, a deputada também cobrou os presidentes da Câmara e do Senado pelo retorno das atividades. “Não é possível o Congresso Nacional estar de portas fechadas. É urgente sua convocação, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre”, disse Gleisi.

 

 

 

Recesso

 

 

 

Até o momento, o recesso parlamentar, na verdade, tem sido ocupado por uma agenda extensa que envolve todo o País. A eleição para a sucessão da Mesa Diretora tanto na Câmara quanto no Senado tem exaurido o diálogo entre os parlamentares durante todo esse mês de janeiro. Nesta semana, inclusive, os deputados Baleia Rossi (MDB-SP) e Arthur Lira (PP-AL) estiveram no Ceará em agenda com lideranças políticas locais.

Apesar da cobrança para a suspensão do recesso oficial, a agenda eleitoral continuará dando o tom das negociações entre partidos, lideranças e governadores estaduais. Na pauta, além da pandemia, ações que, segundo os candidatos, definem quem está próximo ao presidente Jair Bolsonaro e quem estará em situação de independência em relação ao Palácio do Planalto.

Em meio a esse clima de instabilidade e de eleição para a sucessão nas presidências das Casas em Brasília, grupos de apoiadores do presidente organizam caravanas em direção a Brasília para apoiar candidaturas que estariam mais ligadas ao Governo.

Fonte: Diário do Nordeste

Mário Almeida15 de janeiro de 2021
policia-federal.jpeg

6min2100

A Polícia Federal publicou, nesta sexta-feira (15), o edital para o concurso da corporação. Ao todo, são 1.500 vagas e expectativa de convocação de mais 500 excedentes. As provas estão marcadas para ocorrer em 21 de março, em todas as capitais.

O período de inscrições começa em 22 de janeiro e vai até o dia 9 de fevereiro, com taxas entre R$ 150 e R$ 250, a depender do cargo escolhido. Os salários iniciais variam de R$ 12 mil a R$ 23 mil.

As vagas são para:

  • 123 vagas de delegado
  • 400 vagas de escrivão
  • 84 vagas de papiloscopista
  • 893 vagas de agente

 

Além das provas objetivas e discursivas, a seleção conta com:

  • exame de aptidão física
  • avaliação médica e psicológica
  • prova oral e prova de digitação para os cargos de delegado e escrivão, respectivamente
  • avaliação de título
  • investigação social

 

Os candidatos que passarem por todas as etapas serão convocados para o curso de formação, realizado no período de 10 semanas na Academia Nacional de Polícia, em Brasília.

Segundo o edital, os aprovados na seleção vão ingressar na academia ainda em agosto de 2021. O provimento de cargos deve ocorrer até 31 de dezembro. A estimativa é que no fim do processo, a PF conte com “o maior efetivo de sua história”, podendo ultrapassar a marca de 12 mil policiais.

Cotas raciais

 

Uma mudança no novo edital é a possibilidade de o candidato, que optar pela concorrência por meio de cotas raciais, ser aprovado na prova objetiva e discursiva, mas desclassificado na banca, por não atender ao requisito racial.

Nesse caso, o estudante poderá migrar para as vagas de ampla concorrência.

Antes, se o candidato não fosse considerado negro, ele era eliminado do concurso, independentemente da nota alcançada na prova.

Fonte: G1/CE


Mário Almeida15 de janeiro de 2021
cilindros.jpeg

4min5520

A Polícia Civil e a Polícia Militar do Amazonas prenderam um homem de 38 anos por conduzir veículo com 33 cilindros de oxigênio. Uma denúncia anônima informou sobre a movimentação do caminhão, que estava parado no bairro manauense de Alvorada, e cilindros estavam sendo retirados para veículos particulares. Sistema de saúde da região passa por crise em meio a falta de oxigênio. O caso aconteceu na tarde dessa quinta-feira, 14.

O condutor foi preso, mas seu nome e o da transportadora não foram divulgados. O homem ficará preso à disposição da Justiça e vai responder por reter produtos para o fim de especulação. Dos 33 cilindros, 26 possuíam oxigênio.

Segundo o delegado Bruno Fraga, diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), durante o interrogatório o homem informou que possui uma empresa de comercialização de cilindros de oxigênio, mas ficou com medo de que a população invadisse o estabelecimento em busca do material e decidiu tirá-lo do local. Ele informou também que os cilindros haviam sido envasados na quarta-feira,13.

Os materiais apreendidos foram encaminhados na noite do mesmo dia, 14, para unidades hospitalares de Manaus, segundo o delegado. Os policiais civis fizeram a escolta do material para abastecimento em quatro unidades de saúde da rede estadual.

 

 

Crise de saúde em Manaus

 

 

A situação de combate a Covid-19 se agravou em Manaus nessa semana. Ontem, o pesquisador da Fiocruz-Amazônia Jesem Oerellana afirmou à jornalista Mônica Bergamo que tem recebido vídeos, áudios e telefonemas de pessoas que atuam na linha de frente de unidades de saúde com informações desesperadoras: uma delas é que o oxigênio acabou nos hospitais e as unidades viraram “câmaras de asfixia”.

A gravidade fez o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), anunciar novas medidas para tentar conter a disseminação do novo coronavírus. Entre as restrições, está a proibição da circulação de pessoas nas ruas de todo o Amazonas, das 19h às 6h.

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), prestou solidariedade ao estado. “Liguei hoje para o governador do Amazonas, Wilson Lima, colocando o Ceará à disposição para ajudar naquilo que estiver ao nosso alcance diante da grave crise enfrentada em Manaus”, afirmou o gestor cearense.

Fonte: O Povo

Mário Almeida14 de janeiro de 2021
caminhoes.jpeg

5min1770

Devido ao grau crescente de insatisfação dos caminhoneiros, principalmente, em relação ao preço do diesel, e às promessas não cumpridas após a paralisação da categoria no governo Temer, está prevista para o dia 1º de fevereiro uma nova greve. De acordo com o presidente da Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB), José Roberto Stringasci, o movimento está crescendo em adesões e poderá ser maior que a greve de 2018. 

Integrante do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), que na semana passada já alertou para a possibilidade de uma paralisação nacional, a ANTB representa cerca de 4,5 mil caminhoneiros, e não vê problema de realizar uma greve em plena pandemia.

“A pandemia nunca foi problema. A categoria trabalhou para cima e para baixo durante a pandemia. Muitos caminhoneiros ficaram com fome na estrada com os restaurantes fechados, mas nunca parou”, afirma Stringasci.

 

 

Qual a motivação para a greve?

 

 

Segundo Stringasci, a alta do preço do diesel é o principal motivador da greve, mas conquistas obtidas na paralisação de 2018, que chegou a prejudicar o abastecimento em várias cidades, também estão na lista de dez itens que estão sendo reivindicados ao governo para evitar a greve.

“Esse (diesel) é o principal ponto, porque o sócio majoritário do transporte nacional rodoviário é o combustível (50% a 60% do valor da viagem) Queremos uma mudança na política de preço dos combustíveis”, informa.

Ainda monopólio da Petrobras, a produção de combustíveis no Brasil passou por mudanças em 2016, quando foi instituído o PPI (Preço e Paridade de Importação), praticado até hoje. Na época, os reajustes eram praticamente diários, seguindo a flutuação do mercado internacional, mas agora obedecem apenas a lógica da paridade, sem prazo determinado.

“A Petrobras não foi criada para gerar riqueza para meia dúzia, a Petrobras é nossa e tem que ajudar o povo brasileiro e o Brasil”, afirma Stringasci. “Queremos preços nacionais para os combustíveis, com reajuste a cada seis meses ou um ano. Essa é uma das maiores lutas nossas desde 2018, e até antes, e até hoje”, destaca.

Outras reivindicações são o preço mínimo de frete, parado no Supremo Tribunal Federal (STF), após um recurso do agronegócio, e a implantação do Código Identificador de Operação de Transporte (Ciot), duas conquistas de 2018.

Para resolver a questão e evitar uma greve, os caminhoneiros querem uma reunião com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, que recebeu o apoio da categoria nas eleições de 2018.

“A categoria apoiou ele em 100% praticamente nas eleições. Então agora exige a presença dele na reunião”, explica.

 

 

Apoio

 

 

Stringasci diz que a greve já tem 70% de apoio da categoria e de parte da população, diante de preços em alta não apenas no diesel, mas em outros combustíveis, alimentos e outros itens que elevaram a inflação em 2020.

“Eu creio que a greve pode ser igual a 2018. A população está aderindo bem, os pequenos produtores da agricultura familiar também. Se não for igual, eu creio que vai ser bem mais forte do que 2018”, alerta.

 

Fonte: Diário do Nordeste



Atitude Empreendimentos



Nossas Redes Sociais


FALE CONOSCOCONTATO