Arquivos Estaduais - FM Atitude

Wesley Martins28 de outubro de 2020
predio-tse-brasilia-1-750x500-1.jpg

2min100

O Estado do Ceará ficou fora da primeira aprovação, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), dos pedidos para o envio de Forças Federais com vistas a garantir mais segurança aos eleitores, candidatos e mesários nas eleições municipais de 15 de novembro. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) aprovou, no último dia 10 de outubro, o pedido de reforço de tropas federais para o primeiro turno das eleições nas cidades de Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Sobral, Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Pacajus, Horizonte e Itaitinga.

O pedido recebeu o aval do governador Camilo Santana, mas não entrou na pauta da sessão do TSE dessa terça-feira que aprovou o envio dos militares das Forças Armadas para 348 cidades de 7 estados brasileiros. A expectativa é que a solicitação feita pelo Tribunal Regional do Ceará entre, a qualquer momento, na pauta de votações do TSE.

O objetivo do auxílio das tropas federais, segundo o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, é garantir que o processo eleitoral transcorra de forma ordeira e tranquila, além de assegurar o cumprimento de determinações legais do pleito eleitoral, conforme previsto no inciso 14 do artigo 23 do Código Eleitoral.

FONTE: Ceará Agora


Wesley Martins27 de outubro de 2020
foto-1.jpg

2min90

Mesmo após a Controladoria-Geral da União (CGU) apontar, em julho, que mais de 13 mil cearenses com “sinais de riqueza” teriam recebido o auxílio emergencial indevidamente, situação semelhante continua sendo identificada no Estado, agora com candidatos compondo a lista de beneficiados. Dentre os 16,1 mil postulantes a algum cargo público no Ceará nestas eleições, 14 são declaradamente milionários e, ainda assim, receberam ao menos uma parcela do auxílio emergencial do Governo Federal durante o período entre abril e agosto deste ano, segundo a CGU.

Na lista estão incluídos pretensos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. Levando em conta aqueles que têm pelo menos R$ 500 mil em bens, são 52 contemplados.

Quem pode receber 

Conforme a Caixa Econômica Federal, podem receber o benefício brasileiros que estejam desempregados ou sejam microempreendedores, contribuinte individual da Previdência Social ou trabalhador informal. Um outro critério é pertencer a uma família cuja renda mensal por pessoa não ultrapasse meio salário mínimo (R$ 522,50), ou cuja renda familiar total seja de até três salários mínimos (R$ 3.135,00).

FONTE: Diário do Nordeste


Wesley Martins23 de outubro de 2020
Camilo-Santana-destaque-750x563-1.jpg

1min110

Estão circulando em redes sociais prints de pronunciamentos do governador Camilo Santana como se fossem atuais sobre o fechamento do comércio, porém é falsa a informação de que o Governo do Ceará pretende decretar novo lockdown a partir desta sexta-feira (23).

A verdade é que as imagens são referentes aos dias 5 e 28 de maio de 2020, quando dos anúncios de isolamento social rígido na Capital e, posteriormente, no Interior.

Portanto, os conteúdos estão claramente desatualizados e continuam sendo espalhados com o intuito de confundir a população. Fortaleza foi a segunda capital brasileira a adotar medidas mais restritivas de distanciamento. A primeira foi São Luís, capital do estado do Maranhão.

A orientação é que a população busque fontes confiáveis para que se evite essa desinformação em massa causada pela fake news.

FONTE: Ceará Agora


Wesley Martins7 de outubro de 2020
Governador-Camilo-Santana.jpeg

2min350

GOVERNADOR

O governador do Ceará, Camilo Santana, anunciou por meio de redes sociais que testou positivo para Covid-19 em exame realizado nesta quarta-feira (7). Na última segunda-feira (5), a primeira-dama, Onélia Santana, foi diagnosticada com a doença.

“Informo aos meus irmãos e irmãs cearenses que, em novo exame realizado hoje, testei positivo para Covid. Fiz esse segundo exame após surgirem alguns sintomas gripais. Mesmo o exame da 2a feira tendo dado negativo, por precaução, pelo fato de Onélia ter dado positivo já havia cancelado toda a minha agenda pública e entrado em isolamento, trabalhando de casa”, anunciou o governador.

Camilo afirmou ainda que está bem, embora apresente alguns sintomas de gripe. “Agradeço a todos pelas mensagens de carinho e vibrações positivas enviadas à Onélia, que se recupera bem, e espero em breve estarmos recuperados para retomar a agenda normal de trabalho. Forte abraço e fiquem com Deus”, completou o chefe do Executivo estadual.

Depois da comprovação de que a esposa, Onélia, estava com Covid-19, Camilo realizou um exame para a detecção da doença, mas o resultado deu negativo. O diagnóstico do governador ocorreu após um segundo exame, quando ele apresentou alguns sintomas de gripe.

FONTE: Diário do Nordeste


Wesley Martins26 de setembro de 2020
camilo-santana.jpeg

2min200

O decreto de retomada da economia que começa a vigorar na próxima segunda-feira (28) abre mais o leque de atividades que conseguem autorização para funcionar. O anúncio foi feito pelo governador Camilo Santana (PT) através de suas redes sociais. O decreto atual perde a validade neste final de semana.

De acordo com as novas regras, fica autorizado o funcionamento de quadras e ginásios cobertos; apresentações de circo; eventos automobilísticos; atividades de veleiros; e parques infantis em shoppings centers, mediante autorização sanitária. Todos os estabelecimentos vão ter que seguir a cartilha presente no plano de retomada, no que diz respeito a regras de segurança e higiene.

Camilo promete ainda que haverá intensificação na fiscalização para verificar se as determinações sanitárias são seguidas. De acordo com o governador, estabelecimentos reincidentes serão fechados sumariamente.

Todas as macrorregiões de saúde do Ceará (Fortaleza, Cariri, Sobral, Sertão Central, Litoral Leste/Vale do Jaguaribe) seguem na quarta fase do Plano de Retomada Econômica.

O governador garante que todos os dados colhidos pelas autoridades de saúde apontam contínua queda no número de casos e óbitos de covid-19 em todo o Ceará.

Nas últimas semanas também conseguiram autorização para retomar as atividades, creches, escolas públicas e particulares, restaurantes, barracas de praia, dentre outros estabelecimentos, mas todos com horário de funcionamento reduzido.

FONTE: O Otimista


Wesley Martins25 de setembro de 2020
camilo-cria-delegacia-de-crimes-ciberneticos-768x513-1.jpg

2min440

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT) sancionou nesta sexta-feira (25) projeto que cria a Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC). A proposta de implantação do órgão havia sido encaminhada pelo Governo do Ceará no fim do mês de agosto para a Assembleia Legislativa, onde foi votada e aprovada pelos deputados estaduais.

Segundo Camilo, a criação da nova delegacia acompanha os novos tempos, onde a internet ocupa espaço cada vez maior na vida das pessoas. “Acompanhando a evolução tecnológica e da conectividade no mundo, estamos criando uma delegacia exclusiva para reprimir crimes como fake news ou aqueles que utilizam computadores e celulares para fazer extorsões, enfim. Essa delegacia vai trabalhar com tudo o que há de mais moderno, com tecnologia”.

Sem citar dados concretos, o governador garantiu que existirá verba para montar a infraestrutura necessária para os profissionais da DRCC executarem o trabalho.

A delegacia ficará atrelada ao Departamento de Polícia Judiciária Especializada (DPE). Ficarão sob alçada da DRCC  investigações sobre uso indevido recursos tecnológicos de informação computadorizada, como dispositivos eletrônicos, softwares, redes de comunicação e seus similares. Resumindo: qualquer uso das redes e acessórios para cometimento de crimes agora estão passíveis de investigação exclusiva da delegacia.

FONTE: O Otimista


Mardem Lopes18 de setembro de 2020
foto-1280x720.jpg

10min2640

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) encaminhou ontem (17) ao Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) e ao Ministério Público Eleitoral (MPE) a lista de 3.037 pessoas que tiveram contas relativas ao exercício de funções ou cargos públicos rejeitadas por irregularidade insanável ou por decisão irrecorrível, nos últimos oito anos. A relação é uma das principais fontes de casos de candidatos que se tornam “fichas sujas”, ficando proibidos de disputar eleições.

 

“O Tribunal de Contas tem como uma das competências julgar as contas de gestores estaduais e municipais. Elas podem ser julgadas regulares, irregulares e regulares com ressalvas. Quando são julgadas irregulares por identificação de algum dano ao erário, esse nome (do gestor) é inserido na lista. Nos anos eleitorais, tem que ser encaminhada para o TRE uma lista dos julgamentos dos últimos oito anos”, ressalta o secretário de Sessões do TCE, Teni Cordeiro.

 

Ele afirma que não são apenas casos de improbidade administrativa que fazem as contas serem julgadas irregulares. Há casos em que há um conjunto de falhas que podem desaprovar as contas, mas que não têm repercussão nas pretensões eleitorais.

 

“Existe uma série de atos de gestão que não estão de acordo com a norma, mas que não geram prejuízo ao erário. São práticas irregulares, mas que não têm benefícios próprios. Erros contábeis reiterados causam contas desaprovadas, em que não houve um débito, mas um registro indevido”, afirma Cordeiro.

 

 

 

Queda

 

Todos os 184 municípios do Ceará têm gestores citados na relação. Ao todo, são 5.279 processos, sendo 5.225 no âmbito municipal e 54 no âmbito estadual. Entre os casos listados, estão Prestações de Contas de Gestão, Tomadas de Contas Especiais, Tomadas de Contas de Gestão, Denúncias e Provocações.

 

O número de integrantes no levantamento, no entanto, tem caído. Em 2018, nas últimas eleições, 3.586 gestores haviam tido contas rejeitadas em decisão definitiva, uma redução de 15% em comparação com 2020. Em à relação última eleição municipal, em 2016, quando 4.412 gestores integraram a lista, a queda foi maior ainda, 31%.

 

“A gente tem percebido que, com o passar do tempo, as gestões têm se aprimorado no sentido de evitar as falhas mais comuns que geravam a desaprovação de contas. Às vezes, víamos uma pessoa ser tirada da disputa (eleitoral) por falha na assessoria ou por inexperiência. A Lei da Ficha Limpa aprimorou os dispositivos porque, apesar de ter alargado o tempo de inelegibilidade, colocou elementos que são muitos decisivos”, diz a advogada especialista em Direito Eleitoral e membro da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (Abradep), Isabel Mota.

 

Ela cita como exemplo para punição a necessidade de que seja comprovado que houve ato doloso contra o erário público na irregularidade cometida pelo agente. A inelegibilidade de um gestor “ficha suja” só se configura se a desaprovação das contas se der por ato de improbidade administrativa. Isso significa que mesmo os integrantes da lista podem pedir registro de candidatura. Cabe à Justiça Eleitoral decidir se o pedido será deferido ou não para o pleito.

 

Pente fino

 

Com as candidaturas apresentadas em convenções partidárias e no prazo de serem encaminhadas aos tribunais regionais eleitorais, os agentes do Ministério Público iniciam um pente fino na lista de todos os candidatos para identificar quais estão proibidos de concorrer a cargos nos Poderes Executivo e Legislativo.

 

“Ter o nome na lista é uma das possíveis inelegibilidades. (…) A cada cinco candidatos impugnados, quatro são por isso”, destaca o coordenador do Centro de Apoio Operacional Eleitoral (Caopel) do Ministério Público do Estado do Ceará, promotor de Justiça Emmanuel Girão. “É a principal fonte de para possíveis inelegibilidades”, diz. Ele reforça que ter o nome na lista não torna a pessoa imediatamente inelegível.

 

“O promotor analisa o motivo da desaprovação. Por exemplo: violação à Lei de Licitações, gastos com pessoal acima do limite, não prestar as contas quando era obrigatório… Uma (infração) que acontece bastante é reter contribuição previdenciária e não repassar à instituição competente. Tudo isso configura improbidade. Geralmente acham que improbidade é só desvio de recursos, isso é gravíssimo, mas existem vários outros (tipos). A lei de improbidade é bem ampla. Não cabe ao TCE se aquilo é improbidade, vai caber à Justiça Eleitoral. O TCE aprova ou desaprova as contas e explicita os motivos”, acrescenta Girão.

 

No Ceará, desde fevereiro deste ano, o Ministério Público tem feito treinamento com os promotores para que possam identificar possíveis inelegibilidades de quem se apresentou candidato às eleições municipais. Além da lista do Tribunal de Contas, também são consultados dados como condenações criminais.

 

Impugnação

 

O prazo de pedido de impugnação é curto e resulta em um alto volume de checagem para os promotores. Segundo Emmanuel Girão, o prazo para pedir o bloqueio de uma candidatura é até 4 de outubro, observado o prazo de cinco dias, contados da publicação do edital de candidaturas requeridas pelos partidos ou coligação. Além do MPE, siglas, candidatos e coligações podem pedir impugnação à Justiça Eleitoral.

 

“O promotor procura o nome do candidato na lista para analisar se o caso se enquadra na inelegibilidade. Ele vai analisar se o motivo das contas desaprovadas foram irregularidades insanáveis e se configura improbidade administrativa e se não tem mais recurso possível. Então, entra com ação de impugnação”, explica o coordenador do Caopel.

 

De acordo com o TCE, O conteúdo da relação encaminhada ao MPE e ao TRE pode sofrer alterações, em decorrência de decisões lavradas em processos administrativos ou judiciais, até o fim do prazo legal para o envio da lista em 2020, 26 de setembro.

 

Pedidos de registro

 

Partidos e coligações podem pedir registros de seus  candidatos à Justiça Eleitoral até o próximo dia 26 de setembro.

 

Listas

 

De acordo com o calendário  eleitoral, 26 de setembro é o  último dia para os tribunais e  conselhos de contas tornarem disponível à Justiça Eleitoral  relação daqueles que tiveram suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade  insanável e por decisão  irrecorrível do órgão competente.

 

Informações

 

A lista entregue pelo TCE ao TRE-CE e ao MPE está disponível no site da Corte de Contas: www.tce.ce.gov.br/jurisdicionado/contas-irregulares

 

Confira nos links abaixo as listas com gestores que tiveram contas desaprovadas nos municípios da região:

 

Itapajé

Irauçuba

Tejuçuoca

Umirim

Uruburetama

 


FM Atitude20 de agosto de 2020
Policia-CE-1280x852.png

1min310

Um comerciante matou a tiros um homem que tentou assaltar o seu estabelecimento comercial nesta segunda-feira (17), no município de Mombaça, a 300 km de Fortaleza, no Ceará. Na manhã desta terça-feira (18), o autor dos disparos se apresentou na delegacia e foi liberado após prestar depoimento.

Segundo a Polícia Civil, a vítima, identificada como Lucas Marques Pereira, de 20 anos, entrou no estabelecimento e foi baleado pelo comerciante ao anunciar o assalto. Ele ainda foi levado para uma unidade hospitalar, mas não resistiu aos ferimentos.

Um inquérito policial por homicídio doloso por legítima defesa foi instaurado e a arma de fogo usada na ação foi apreendida no imóvel do comerciante. A Delegacia Municipal de Mombaça apura o caso.

Fonte: G1/CE


FM Atitude20 de agosto de 2020
Plenario-1280x852.png

14min240

A última condenação de um deputado na Casa ocorreu em 2004. A votação do processo por quebra de decoro contra André Fernandes é o primeiro caso de suspensão do mandato a ser analisado pelos deputados desde então

A Assembleia Legislativa do Ceará pode voltar a punir, após 16 anos, um parlamentar por infringir as regras da Casa. Desta vez, exatamente um ano desde que o Conselho de Ética abriu processo por quebra de decoro contra o deputado André Fernandes (Republicanos), deputados decidem nesta quinta-feira (20), em votação aberta em plenário, se aprovarão a suspensão por 30 dias do mandato de um dos principais aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Legislativo Estadual.

As últimas análises de processos disciplinares na Casa ocorreram 15 anos atrás. Em 2005, o Legislativo absolveu, por 23 votos a 16, o então deputado estadual, hoje federal, José Guimarães (PT) por suposto caixa dois na campanha eleitoral de 2002. Naquele mesmo ano, a então deputada Iris Tavares (PT) também foi absolvida em outro processo. A mais recente punição efetivada, no entanto, data de um ano antes: em 2004, o ex-deputado Sérgio Benevides chegou a perder o mandato, acusado de ter se beneficiado de desvio de verba da merenda escolar em Fortaleza.

No caso de André Fernandes, até esta quarta (19), segundo levantamento do Diário do Nordeste, seis deputados declararam voto a favor; nove, contra; outros oito se disseram indecisos e seis optaram por manter o posicionamento em sigilo. Os demais não responderam.

Bastidores

Às vésperas da votação, que será aberta, a indecisão e a omissão têm sido comuns no discurso dos parlamentares e posto em dúvida a efetivação da penalidade que, antes, já foi dada como certa, aprovada com maioria de votos em outras etapas do processo, como Subconselho de Ética, Conselho de Ética e Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Ainda assim, há quem seja taxativo: “Já me certifiquei, ele sai punido amanhã (hoje)”, afirma a deputada Silvana Oliveira (PL), que votará contra a punição do colega.

A última cartada de Fernandes foi recorrer à Justiça para suspender o processo disciplinar nº 01/2019 e, consequentemente, a apreciação e votação do Projeto de Resolução nº 08/2020, marcada para hoje, alegando inobservância aos direitos fundamentais, ao contraditório e ampla defesa no processo disciplinar. Ontem, a juíza Ana Cleyde Viana de Souza, da 14ª Vara, remeteu ao Tribunal de Justiça o pedido após declarar “incompetência” do juízo para avaliar o pedido do deputado.

Denúncia

Ele responde ao processo por quebra de decoro após acusar o deputado Nezinho Farias (PDT) de envolvimento com facção criminosa em junho de 2019. Em denúncia ao Ministério Público do Estado, André Fernandes usou como base um projeto para regulamentar “e-sports”, uma modalidade de competição de jogos eletrônicos, a qual confundiu com “jogo do bicho”, que, conforme a denúncia, serviria para “lavagem de dinheiro” da facção. A denúncia foi arquivada pelo MP, por ausência de “indícios ou provas que confirmassem a denúncia”.

O deputado chegou a pedir desculpas a Nezinho, alegando que não teve intenção de prejudicar o colega. “O que fiz não foi para denegrir. Talvez por inexperiência minha de não saber como funciona o Ministério Público, sigilo”, disse à época. Mesmo assim, o Conselho de Ética acatou representações do PSDB e do PDT contra ele.

Depois disso, outros cinco processos por quebra de decoro foram protocolados na Assembleia, mais três deles direcionados a Fernandes, por fazer acusações sem provas; um a Osmar Baquit (PDT) e Leonardo Araújo (MDB), por troca de ofensas graves; e outro a Bruno Gonçalves (PL), por conduta ilícita.

A punição a Sérgio Benevides foi a única na Casa desde a redemocratização. A possibilidade de se abrir um precedente para penalidades mais severas tem preocupado parte dos parlamentares nos bastidores. Além disso, a mudança da votação de secreta para aberta, decidida há uma semana, após questionamentos de divergências entre o Regimento Interno e a Constituição Federal; também tem impactado nos receios de exposição.

Decano na Assembleia, Fernando Hugo (PP) não externou o voto por se dizer “envergonhado” com a situação. “É um ineditismo na história da Assembleia, em um ano e sete meses de legislatura, se ter uma absurda quantidade de denúncias contra deputados que não dever-se-ia fazer do denunciar por denunciar”.

“Cria-se um movimento de que vai se abrir precedente, de que vai se expor a Casa, não mais (discutindo) sobre o que o deputado fez de fato”, pontua o deputado Acrísio Sena (PT), que não descarta “surpresas” no posicionamento de parlamentares. “O período eleitoral é propício a demagogias e oportunismos. Não é só porque o voto é aberto, é por causa da agenda eleitoral”.

Afetado

Parte diretamente afetada no caso, o deputado Nezinho Farias reforça o pedido pela suspensão. “Ele tem que passar pelo que está solicitado pelo Conselho de Ética, pelo pedido de suspensão. É a mesma coisa de eu lhe acusar, dizer que você é bandido, lhe esculhambo para a imprensa, aí depois eu vou ali e (digo) ‘amigo, me desculpe'”, afirma. Para ele, a não punição será uma “desmoralização” para o Legislativo. “Amanhã pode ser com outro colega. Não desejo o constrangimento que passei para nenhum. Então é bom que sirva de lição”.

André Fernandes não deu retorno às tentativas de contato da reportagem, mas, nas últimas sessões, vem dizendo ser vítima de “perseguição” e “conluio”, por ser um deputado de oposição. “Encaminhei uma notícia de fato ao Ministério Público, que era para ter mantido sigilo”, afirmou, na tribuna da Casa.

Além de minimizar a gravidade da própria conduta, o deputado tem frequentemente usado como exemplo, para corroborar a tese de perseguição, briga entre Leonardo Araújo e Osmar Baquit. Antes da votação, Fernandes poderá fazer sua defesa no plenário pelo tempo de 45 minutos.

Votos

O relator do processo na CCJ, Bruno Pedrosa (PP), que manteve a previsão de punição, diz ter dúvidas de se manterá o voto a favor. “Meu parecer favorável na CCJ foi nos trâmites processuais. No mérito, não tive a oportunidade de me posicionar. É um deputado jovem. Realmente a acusação foi muito grave. Me colocando no lugar do deputado Nezinho, me veria numa situação muito delicada mesmo. Estou em dúvida pela juventude do deputado”, opina.

A deputada Fernanda Pessoa (PSDB), integrante de um dos partidos do qual se originou o pedido de punição, votará contra a suspensão. “Todas as vezes em que um colega é colocado nessa situação é desagradável. Fica um clima muito ruim. E o pior é que não é só esse caso do André Fernandes. Nós temos aí outros casos. Não adianta punir só um parlamentar, como querem fazer, vão ter que ser todos que estão tendo problemas nesse período”, defende.

O deputado Carlos Felipe (PCdoB) também atenta para um risco de “perseguição”. “Na proporção que for com ele (André), tem que ser com os outros”, afirma, mesmo reconhecendo a gravidade da conduta de Fernandes.

Leonardo Araújo, alvo de processo, é contra. “O que estão fazendo com a Assembleia é uma banalização do Conselho de Ética, protocolando ação contra tudo e contra todos”, afirma, já adiantando que prepara representação contra colega parlamentar.

Outro alvo de representação, Baquit, acredita que o plenário vai referendar o parecer do Conselho. “O voto é aberto, não vejo muito como ele não ser punido. Seria uma desmoralização para a Casa (a não punição)”. Para ele, a demora no desfecho se deu pelo cumprimento do rito e pelo impacto da pandemia.

Trâmite

Sérgio Aguiar (PDT) segue a mesma linha. “Todo mundo tomou conhecimento de que a apuração foi feita, a defesa e o devido processo legal foram observados, e agora o que se tem que fazer é decidir efetivamente. A punição vem para ser uma espécie de alerta para o papel do parlamentar”, diz.

Quem também reforça o coro de não ser favorável à punição sugerida são os deputados Danniel Oliveira (MDB) e João Jaime (DEM). “Talvez a punição esteja pesada para o que o deputado fez. O ato dele foi de imaturidade. Não chegaria ao ponto de suspender o mandato”, afirma Oliveira. Já João Jaime é categórico: “Não voto contra colega”.

Para o deputado Elmano de Freitas (PT), que votará a favor da suspensão, o relatório da deputada Augusta Brito (PCdoB), que definiu a suspensão como penalidade é uma “mediação entre uma completa impunidade e uma punição absoluta”. Heitor Férrer (SD) também se diz indeciso. “Pesa muito a força de um mandato popular. Diante de um processo que a gente julga, é que você vê o valor de um bom juiz que não quer errar”.

Votação

O Projeto de Resolução que trata do processo disciplinar contra André Fernandes será incluído na Ordem do Dia da sessão desta quinta. O acusado ou seu defensor poderá fazer sustentação oral, após a leitura do parecer, por 45  minutos. Ao votarem, deputados poderão justificar o voto.

Caso Carlomano 

Em 2012, o então deputado estadual Carlomano Marques teve o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por captação ilícita de votos. Após entrar com recurso, ele reverteu a decisão e voltou a exercer o mandato. Hoje, é prefeito do município de Pacatuba.

Posicionamento dos deputados

NÃO SABE

Aderlânia Noronha (SD)
Bruno Pedrosa (PP)
Fernando Hugo (PP)
Heitor Férrer (SD)
Walter Cavalcante (MDB)
Marcos Sobreira (PDT)
Evandro Leitão (PDT)
Salmito Filho (PDT)

CONTRA

Leonardo Araújo (MDB)
João Jaime (DEM)
Danniel Oliveira (MDB)
Fernanda Pessoa (PSDB)
David Durand (REP)
Delegado Cavalcante (PSL)
Soldado Noélio (Pros)
Dra. Silvana (PL)
Apóstolo Luiz Henrique (PP)

A FAVOR

Osmar Baquit (PDT)
Renato Roseno (PSOL)
Nezinho Farias (PDT)
Elmano Freitas (PT)
Acrísio Sena (PT)
Moisés Braz (PT)

EM SIGILO

Fernando Hugo (PP)
Guilherme Landim (PDT)
Sérgio Aguiar (PDT)
Augusta Brito (PCdoB)
Carlos Felipe (PCdoB)
Manoel Duca (PDT)


FM Atitude20 de agosto de 2020
camiaooo-1280x852.png

3min200

No início da tarde desta terça-feira (18) um caminhão carregado de caixotes de cerveja, parte da carga caiu na pista, em trecho da CE-362, sentido Sobral a Massapê. A carroceria e cabos que sustentavam a carga se romperam e ocasionou a queda de parte dos caixotes. No momento um caminhão que seguia sentido contrário foi atingido na dianteira por parte dos caixotes quando haviam caído do veículo em que a carga estava sendo conduzida.

O outro caminhão ficou com a frente parcialmente destruída devido ao impacto dos caixotes quando a atingiram com o rompimento da carga. Felizmente ninguém se feriu.

No período da tarde a via foi liberado, logo que foi feita a limpeza e retirada de pedaços de vidros que ficaram espalhados.

 

Fonte: O Sobralense



Atitude Empreendimentos



Nossas Redes Sociais


FALE CONOSCOCONTATO