Arquivos Mundo - FM Atitude

Mário Almeida31 de julho de 2021
incendios.jpg

7min430

A costa da Turquia, uma região turística, foi atingida por incêndios na última semana —até sexta-feira (30), foram 70 focos, 14 deles ainda ativos. Pelo menos seis pessoas morreram.

A temperatura alta e os ventos têm contribuído para os incêndios nos últimos dias.

Seis províncias diferentes foram atingidas. Vilas e hotéis foram esvaziados nas regiões mais turísticas. Pessoas corriam em campos para fugir do fogo que se aproximava das casas.

Duas áreas onde há resorts foram mais atingidas: Mugla, na costa do Mar Egeu, e Antalya, na costa do Mar Mediterrâneo.

Uma das pessoas que morreram é uma senhora de 82 anos que morava sozinha. Ela não conseguiu abandonar sua casa, que foi atingida pelas chamas. Um jovem de 25 anos que foi a um dos locais afetados para tentar ajudar na extinguir as chamas também morreu.

Cerca de 183 pessoas, a maioria afetada pela fumaça, e três com queimaduras, foram hospitalizadas. Dez pessoas que haviam ficado presas em um barco em um lago cercado pelas chamas foram auxiliadas nesta quinta-feira por equipes de resgate.

 

Incêndios começaram em bosques

 

 

Os incêndios começaram na quarta-feira, em dois bosques na província de Antalya, e, com o vento forte, se espalharam rapidamente para zonas habitadas.

A Turquia recebeu ajuda de aviões da Rússia, da Ucrânia e do Azerbaijão para tentar controlar o fogo.

Diante do avanço das chamas, as autoridades retiraram pessoas de 18 municípios e distritos.

“Vai ser dado todo apoio necessário aos nossos cidadãos que sofreram com o incêndio”, declarou o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, que prometeu abrir uma investigação para descobrir a origem do fogo.

Outro lado

Além de fazer os brasileiros tirarem os casacos do armário, a onda de frio que atinge o país também vai obrigar a população a colocar as mãos nos bolsos – só que não para esquentar.

As baixas temperaturas afetam as lavouras e devem gerar mais um choque inflacionário no preço dos alimentos. Mas os efeitos dos dias de frio intenso, que devem durar até domingo (1°), ainda podem provocar impactos em cadeia sobre os preços em geral.

A maior preocupação em relação aos preços, no entanto, segue relacionada ao clima, mas não à baixa temperatura: a seca, que prejudica a produção de energia – e encarece as contas de luz dos brasileiros.

Fonte: G1.com


Mário Almeida27 de julho de 2021
exoesq.jpg

3min810

Na França, um pai construiu um exoesqueleto para ajudar o seu filho a caminhar.

Oscar Constanza, de 16 anos, usa cadeira de rodas por causa de uma condição neurológica genética que faz com que seus nervos não enviem sinais suficientes para as pernas.

“Antes, eu precisava de alguém para me ajudar a andar … isso me faz sentir independente”, disse Oscar.

 

O seu pai, Jean-Louis Constanza, é um dos fundadores da empresa que fabrica o exoesqueleto, a Wandercraft, localizada em Paris.

“Um dia Oscar me disse: ‘pai, você é engenheiro robótico, por que não faz um robô que nos faça andar?‘”, lembra Constanza. “Daqui a dez anos, não haverá cadeiras de rodas, ou muito menos”, acrescentou.

Outras empresas no mundo também estão fabricando exoesqueletos, competindo para torná-los o mais leves e utilizáveis ​​possível.

Algumas se concentram em ajudar pessoas com deficiência a caminhar, outras em diversas aplicações, como fazer com que ficar em pé se torne menos cansativo para os trabalhadores de uma fábrica, por exemplo.

Exoesqueleto construído pela pela empresa francesa Wandercraft. — Foto: Christian Hartmann/Reuters


Mário Almeida10 de julho de 2021
papa.jpg

5min800

Sempre envolta em mistério, a saúde dos pontífices costuma abalar os alicerces do Vaticano toda vez que ameaça o reinado de seu inquilino vitalício, em geral idoso e mais vulnerável. É o que acontece com o Papa Francisco, de 84 anos, hospitalizado desde domingo na Policlínica Gemelli, a que João Paulo II, em uma de suas internações, referiu-se como “Vaticano número 3” (ou seja, a terceira casa do pontífice).

Francisco foi submetido a uma cirurgia para a retirada de parte do cólon, que se revelou depois ser mais grave e extensa do que o previsto. Os fiéis foram surpreendidos, no próprio domingo, com o anúncio repentino de uma operação para tratar a estenose diverticular sintomática do cólon, que já estaria programada.

A apreensão em torno da saúde papal e o ceticismo gerado pelas informações da Santa Sé são justificados e têm antecedentes traumáticos entre o rebanho católico. Basta lembrar a lenta agonia de João Paulo II, que sofria de Mal de Parkinson e ingressou dez vezes na ala do Gemelli reservada aos papas.

Exímio esportista, ao longo de seus 26 anos no comando da Igreja Católica, o Pontífice foi tornando-se encurvado e com a saúde visivelmente deteriorada. Nos últimos tempos, demonstrava também problemas respiratórios e dificuldades para falar, contrariando o que dizia o Vaticano. Ainda assim, manteve-se à frente da Santa Sé até a morte, em abril de 2005.

Neste contexto, de discrição e pouca transparência, é natural que se especule sobre o real estado de Francisco em sua primeira internação no Gemelli. Sem parte de um dos pulmões desde os 21 anos, o Papa tem demonstrado vigor e boa saúde. Ele não esconde sofrer de dor crônica no ciático, que tenta aliviar com fisioterapia, massagens e anti-inflamatórios.

Mas, no regresso de Bagdá a Roma, em março passado, após uma parada de um ano nas viagens, forçada pela pandemia, ele admitiu ter se cansado “muito mais do que nas outras vezes”.

A cirurgia extensa, planejada para coincidir com o período de férias, levanta dúvidas sobre os efeitos que terá na agenda do Papa. A celebração do Ângelus dominical, da sacada do hospital, uma semana após a colectomia, procura dar aos fiéis um indício de aparente normalidade.

Numa entrevista em 2015, Francisco ponderou que a renúncia de Bento XVI não deveria ser considerada uma exceção. Chegou a prever que sua missão como chefe da Igreja Católica seria curta, entre dois e cinco anos. Já dura oito.

Fonte: G1.com


Mário Almeida9 de julho de 2021
fabrica-bangladesh.jpg

7min1560

Ao menos 52 pessoas morreram, 30 ficaram feridas e dezenas estão desaparecidas em um incêndio em uma fábrica em Bangladesh, segundo boletim policial divulgado nesta sexta-feira (9).

As chamas começaram no térreo de um prédio de seis andares onde funciona uma fábrica de alimentos e bebidas em Rupganj, perto da capital Daca, na noite de quinta-feira (8).

Entre as dezenas de feridos estão trabalhadores que pularam pelas janelas para escapar do fogo, que continua ativo 24 horas depois. Os bombeiros também conseguiram resgatar 25 pessoas que se refugiaram no telhado.

O chefe do Corpo de Bombeiros de Daca, Dinu Moni Sharma, disse que o fogo se expandiu devido ao acúmulo de produtos químicos inflamáveis e de plásticos armazenados no interior da fábrica.

Em um primeiro momento, a polícia anunciou três mortes, mas o número de vítimas aumentou dramaticamente quando os bombeiros chegaram aos andares superiores e encontraram dezenas de corpos de trabalhadores.

“Três pessoas morreram ao pular do prédio para escapar do incêndio e 49 corpos carbonizados foram recuperados até agora”, disse Mustain Billah, administrador do distrito de Narayanganj, onde fica Rupganj.

“Ainda está queimando o último andar. Os bombeiros estão lutando para controlá-lo, pois produtos químicos e materiais inflamáveis ​​foram armazenados dentro do prédio.”

Histórico de tragédias

 

 

Incêndios são frequentes em fábricas em Bangladesh devido ao descumprimento das normas de segurança, à fiscalização frouxa e à corrupção.

Grandes marcas ocidentais, que empregam dezenas de milhares de trabalhadores mal pagos em Bangladesh, estão sob pressão para melhorar as condições nas fábricas.

Em abril de 2013, a oficina de confecção Rana Plaza desabou devido a um incêndio e 1.138 trabalhadores morreram.

Em fevereiro de 2019, ao menos 70 pessoas morreram em um grande incêndio em um prédio residencial na capital Daca, onde produtos químicos haviam sido armazenados ilegalmente.

Histórico de tragédias

 

 

Incêndios são frequentes em fábricas em Bangladesh devido ao descumprimento das normas de segurança, à fiscalização frouxa e à corrupção.

Grandes marcas ocidentais, que empregam dezenas de milhares de trabalhadores mal pagos em Bangladesh, estão sob pressão para melhorar as condições nas fábricas.

Em abril de 2013, a oficina de confecção Rana Plaza desabou devido a um incêndio e 1.138 trabalhadores morreram.

Em fevereiro de 2019, ao menos 70 pessoas morreram em um grande incêndio em um prédio residencial na capital Daca, onde produtos químicos haviam sido armazenados ilegalmente.

Fonte: G1.com


Mário Almeida8 de julho de 2021
nasa-asteroide.jpg

7min2080

Como num filme de ficção científica, pesquisadores chineses traçaram um plano de enviar 23 dos maiores foguetes da China para desviar um asteroide enorme, algo que poderia ser crucial caso um corpo celeste entre de fato em rota de colisão com a Terra.

Segundo especialistas do Centro Nacional de Ciências Espaciais do país, simulações matemáticas apontaram que a estratégia de foguetes atingindo simultaneamente um grande asteroide poderia desviá-lo de seu caminho original a uma distância de 1,4 vezes o raio da Terra.

Os cálculos são baseados em um asteroide chamado Bennu, que orbita o Sol e é tão largo quanto o arranha-céus Empire State Building, em Nova York, que tem 381 metros de altura e está entre os 50 maiores edifícios do mundo. O Bennu pertence a uma classe de rochas com potencial para causar danos regionais ou continentais — estima-se que asteroides medindo mais de 1 km poderiam gerar consequências globais.

O estudo em torno do tema, assinado por seis pesquisadores, foi publicado recentemente na revista científica Icarus.

Nele, os cientistas afirmam que “os impactos de asteroides representam uma grande ameaça para toda a vida na Terra” e que a estratégia de lançar algo contra eles é a abordagem mais possível, porém com efeito limitado.

Por isso, eles passaram a calcular o envio de um conjunto de objetos contra eventuais asteroides em rota de colisão com o planeta.

Os foguetes Longa Marcha 5 citados no estudo são a chave para as ambições espaciais de curto prazo da China. Eles são usados para diferentes finalidades: desde carregar módulos de estações espaciais até lançar sondas à Lua e a Marte.

A China lançou com sucesso seis foguetes Longa Marcha 5 desde 2016. Mas o último gerou preocupações de segurança ao redor do mundo, uma vez que pedaços remanescentes dele reentraram na atmosfera em maio sem controle e poderiam atingir uma região habitada, algo que acabou não acontecendo.

“A proposta de manter o compartimento superior do foguete de lançamento para uma espaçonave guiadora, criando um grande “impactador cinético’ para desviar um asteroide me parece um conceito bastante bom”, disse o professor Alan Fitzsimmons, do centro de pesquisa em astrofísica da Queen’s University em Belfast, na Irlanda do Norte.

“Ao aumentar a massa que atinge o asteroide, a física simples deve garantir um efeito muito maior”, acrescentou Fitzsimmons à agência de notícias Reuters.

Para ele, no entanto, caso essa missão se torne realidade um dia, seriam necessários cálculos bem mais detalhados.

Atualmente, estimativas apontam que há quase 1% de chance de um asteroide de 100 metros de largura atingir a Terra nos próximos 100 anos, afirmou o professor Gareth Collins, da universidade Imperial College London, no Reino Unido.

“Algo em rota de colisão do tamanho de um Bennu é cerca de 10 vezes menos provável.”

Para os cientistas, alterar o caminho de um asteroide representa um risco menor do que explodir a rocha com explosivos nucleares, que podem criar fragmentos menores sem alterar seu curso.

O resultado prático de todos esses cálculos e hipóteses deve ser visto em breve. Em algum momento entre o final de 2021 e o início de 2022, os Estados Unidos lançarão uma espaçonave robótica para interceptar dois asteroides relativamente próximos da Terra.

Quando chegar ao destino, um ano depois, a espaçonave da Nasa (agência espacial americana) fará um pouso forçado no menor dos dois corpos rochosos para ver o quanto a trajetória do asteroide muda. Será a primeira tentativa da humanidade de mudar o curso de um corpo celeste.

Fonte: G1.com


Mário Almeida6 de julho de 2021
aviao-russia.jpg

3min1010

Um avião com 28 pessoas a bordo caiu nesta terça-feira (6) na península de Kamchatka, no extremo leste da Rússia, quando se preparava para pousar.

Ninguém sobreviveu ao acidente, segundo as equipes de resgate. Havia 22 passageiros e seis tripulantes na aeronave, segundo o Ministério de Emergências da Rússia.

O turboélice bimotor Antonov An-26 voava de Petropavlovsk-Kamchatsky, capital da região, para Palana, uma vila no norte de Kamchatka, quando perdeu contato com o controle de tráfego aéreo.

A prefeita de Palana, Olga Mokhireva, estva entre os passageiros, segundo a agência de notícias TASS.

 

Local da queda

 

 

O avião deveria ter pousado às 15h50 (horário local, 2h50 de Brasília), mas as autoridades regionais perderam contato com a aeronave quando ela estava a 9 km do aeroporto de Palana.

Os destroços foram encontrados a cerca de 5 km do aeroporto, na costa do mar de Ojotsk. Uma parte da fuselagem estava em terra e outra foi localizada no mar, a 4 km da costa, segundo a Marinha russa.

O Antonov era operado por uma pequena companhia aérea local de Kamchatka, uma vasta península pouco habitada no extremo leste da Rússia.

Fonte: G1.com


Mário Almeida4 de julho de 2021
acidentefilipinas.jpg

3min1170

Um avião militar com 92 pessoas a bordo, incluindo três pilotos e cinco tripulantes, caiu neste domingo (4) no sul das Filipinas, informou o chefe das Forças Armadas. Pelo menos 45 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas, segundo informações do ministro da Defesa filipino, Delfin Lorenzana.

A aeronave Lockheed C-130 foi quebrado no meio durante a tentativa de pouso na ilha de Joló, na província de Sulu, informou a Força Aérea em um comunicado, acrescentando que as equipes de resgate estão no local.

Muitos dos passageiros haviam se formado recentemente no treinamento militar básico e estavam sendo enviados para a ilha como parte de uma força conjunta que lutava contra grupos armados nesta região de maioria muçulmana.

O Exército tem uma forte presença no sul das Filipinas, onde grupos como Abu Sayyaf operam, muitas vezes realizando sequestros em troca de resgate.

Fonte: G1.com

Mário Almeida4 de julho de 2021
papa-ff.jpeg

3min800

Papa Francisco foi internado em um hospital de Roma, neste domingo (4), para a realização de uma cirurgia no intestino grosso, comunicou o Vaticano, sem detalhar mais sobre a operação.

O procedimento médico já estava agendado e tem o objetivo de reparar uma estenose — estreitamento ou constrição de um duto, ou passagem intestinal.

Três horas antes do comunicado da Igreja Católica, o Pontífice participou nesta manhã da tradicional cerimônia religiosa na Praça de São Pedro, onde reza aos domingos com os seguidores.

 

Cronograma de viagens

 

Na ocasião, o Papa anunciou que visitará a Eslováquia de 12 a 15 de setembro, com uma breve passagem pela Hungria do líder populista de direita Viktor Orban, onde celebrará apenas uma missa em Budapeste.

“Estou feliz em anunciar que de 12 a 15 de setembro, se Deus quiser, irei à Eslováquia para uma visita pastoral.”

líder da Igreja Católica Francisco, que visitou o Iraque em março, explicou que no dia 12 de setembro celebrará a missa de encerramento do 52º Congresso Eucarístico Internacional em Budapeste, capital da Hungria.

“O programa da viagem será publicado oportunamente”, acrescenta o comunicado, mas, ao que parece, não se reunirá com os responsáveis do governo húngaro durante sua breve estada em Budapeste.

Fonte: O Povo

O Papa, de 84 anos, criticou em várias ocasiões o “populismo” e o “soberanismo” que, em sua opinião, são “atitudes de isolamento” que carregam as sementes de exclusão e rejeição, especialmente em relação aos migrantes, dos quais é um defensor.

Na Eslováquia, ele visitará as cidades de Bratislava, Presov, Kosice e Sastin, informou o Vaticano em um comunicado. Será a primeira visita de um pontífice ao país do antigo bloco soviético de maioria católica depois da de João Paulo II em 2003.

Francisco recebeu a presidente da Eslováquia, Zuzana Caputova, em audiência em dezembro de 2020 no Palácio Apostólico. Caputova disse estar “muito feliz” com o anúncio deste domingo.

“Acredito que a presença do Papa Francisco será uma mensagem de reconciliação e esperança para todos nós nesses tempos difíceis”, escreveu no Facebook.

De acordo com Miro Kern, editorialista do jornal eslovaco Dennik N, a visita Papal constitui “uma espécie de recompensa para a Eslováquia, como resultado de sua posição mais aberta aos migrantes”.


Mário Almeida1 de julho de 2021
taiwan.jpg

4min1050

Um garoto de 7 anos morreu na última terça-feira (29) após ser jogado 27 vezes no chão durante uma aula de judô em Taiwan. Ele sofreu uma hemorragia cerebral em abril, durante o treino, quando foi jogado no chão tanto pelo professor como por colegas. A identidade do garoto não foi revelada.

O tio do menino estava presente na aula — ele gravou um vídeo porque queria provar para a mãe do garoto que ele não tinha condição de praticar judô.

No vídeo, há imagens do garoto gritando ao ser jogado no chão por outros meninos mais velhos. O técnico manda ele se levantar e diz para os outros meninos continuarem a derrubá-lo. Depois, o próprio técnico joga o menino no chão e o menino desmaia. Segundo os familiares, o professor disse que ele estava só fingindo.

O menino entrou em coma e começou a respirar com a ajuda de aparelhos. Depois de 70 dias, os pais decidiram desligar os aparelhos.

Sem autorização para dar aulas

 

Mais tarde, soube-se que o professor, de sobrenome Ho, não tinha autorização para dar aulas. Ele foi processado por agressão física que resultou em morte e também por ter empregado um menor de idade para cometer um crime, segundo a mídia local.

Ele chegou a ser preso, mas saiu com o pagamento de uma fiança de US$ 3.583 (cerca de R$ 18 mil).

Se for condenado, estará sujeito a uma pena de pelo menos 7 anos de prisão (a pena máxima é prisão perpétua).

Fonte: G1.com


Mário Almeida28 de junho de 2021
miami.jpg

4min980

Equipes de resgate retiraram nesta segunda-feira (28) o décimo corpo dos escombros do prédio que desabou parcialmente na Flórida, nos Estados Unidos, na última quinta-feira (24).

Cerca de 150 pessoas ainda seguem desaparecidas, e autoridades prometem continuar procurando por possíveis sobreviventes. Mais da metade do Chaplain Towers desmoronou na madrugada, quando os moradores dormiam.

Uma criança brasileira está entre os desaparecidos. Lorenzo Leone, de 5 anos, estava com seu pai, Alfredo Leone, quando o edifício veio abaixo. Sua mãe, Raquel Oliveira, não estava no apartamento porque visitava parte da família no Colorado.

Equipes de resgate usam guindastes, cães farejadores e equipamentos com infravermelho em busca de qualquer sinal de vida entre os escombros, na esperança de que bolsões de ar possam ter se formado sob o concreto — o que poderia manter pessoas com vida por tantos dias.

“Vamos continuar e trabalhar incessantemente para exaurir todas as opções possíveis em nossa busca”, disse a prefeita do condado de Miami-Dade, Daniella Levine Cava, em uma coletiva de imprensa. “A operação de busca e resgate continua”.

 

Mas as chances de encontrar sobreviventes diminuem com o passar do tempo, e equipes de resgate estão tendo dificuldades para encontrar até mesmo restos mortais. Até o momento, as oito vítimas foram identificadas oficialmente pela polícia.

O prédio fica em Surfside, cidade ao norte de Miami Beach e interligada por pontes a Miami continental. Os três municípios ficam no distrito de Miami-Dade, no sul da Flórida.

Equipes de resgate trabalham nos escombros do condomínio Champlain Towers South, em 27 de junho de 2021, em Surfside. Prédio desabou parcialmente no dia 24 na região de Miami, na Flórida, nos Estados Unidos — Foto: Wilfredo Lee/AP

Fonte: G1.com



Atitude Empreendimentos



Nossas Redes Sociais


FALE CONOSCOCONTATO