Arquivos Saúde - FM Atitude

Wesley Martins28 de outubro de 2020
Cirurgia-de-corac-o-1280x719.jpg

1min90

Mais da metade dos óbitos por causas cardiovasculares sem esclarecimento ocorreu em casa, no Ceará, entre janeiro e outubro deste ano. Das 1.837 mortes por “causas inespecíficas”, 1.046 ocorreram no domicílio da vítima, o que representa 57% do total. Essa foi a mesma porcentagem de aumento entre as causas inespecíficas, que no mesmo período de 2019 registraram 1.169 ocorrências no Estado. À época, as mortes em casa representavam 34% do total.

Os dados são da Central Nacional de Informações do Registro Civil(CRC), disponibilizados pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen) em parceria com a Sociedade Brasileira de Cardiologia(SBC). Eles levam em consideração informações fornecidas por cartórios.

Conforme o levantamento, o número geral de mortes por infarto retraiu 5%, caindo de 2.111 casos para 2.003. Contudo, quando se observam as ocorrências em domicílio, houve um crescimento de 26,7%, passando de 766 para 971, também entre janeiro e outubro. Pelas causas cardiovasculares inespecíficas 397 morreram em casa, em 2019, mas 2020 registrou aumento de 163%: foram 1.046 casos.

FONTE: Diário do Nordeste


Wesley Martins28 de outubro de 2020
vacinac-o.jpg

1min80

Em prol do combate à paralisia infantil, 258.904 crianças foram vacinadas contra poliomielite no Ceará durante a campanha nacional de vacinação, iniciada no dia 5 de outubro. Essa quantidade representa cerca de 50,6% do público-alvo total – crianças de 1 a menores de 5 anos de idade. O Estado espera alcançar ameta de 510.895 vacinas aplicadas.

Os dados foram obtidos às 19h32 de ontem (27) através do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI), do Ministério da Saúde. A campanha do Governo Federal teve início no dia 5 de outubro e estava prevista para terminar nessa sexta-feira (30). Porém, de acordo com a coordenadora de Imunização da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), Carmem Osterno, o prazo deverá ser prorrogado.

Durante a campanha, todas as vacinas previstas no calendário de vacinação estarão disponíveis. Na avaliação de Carmem Osterno, a expectativa para alcançar a meta da poliomielite é positiva.

FONTE: Diário do Nordeste


Mário Almeida26 de outubro de 2020
Camilo-Santana-destaque-750x563-1.jpg

2min2630

O governador Camilo Santana (PT) usou suas redes sociais para alertar mais uma vez a população cearense sobre os riscos de contaminação pelo novo coronavírus. Na noite deste sábado, 24, publicou mensagem alertando sobre a continuidade de manter medidas de proteção.

“Sobre as medidas restritivas tomadas na pandemia, tenham certeza que meu maior desejo seria que não fossem necessárias e que a vida estivesse normal. Mas ainda não está, nem aqui nem no mundo inteiro”, escreveu ele no Facebook.

A mensagem do governador vem um dia depois de o Comitê Científico de Combate ao Coronavírus do Consórcio Nordeste divulgar relatório indicando o risco de uma segunda onda da Covid-19 na região – algo que, para a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), estaria descartado.

“Alguns países já voltam a fechar tudo por conta do aumento de casos, o que não queremos jamais fazer aqui novamente. Temos 95% da economia de volta funcionando no Ceará, porque as empresas precisam produzir e todos precisam de emprego”, continuou Camilo Santana.

Conforme o governador, apesar da retomada das atividades ocorridas no Estado nos últimos meses, “é fundamental que os cuidados continuem sendo tomados”. “O vírus ainda está circulando. Usar máscara sempre que sair de casa e evitar aglomerações são medidas importantíssimas”, reforçou.

 

Fonte: O Povo


Wesley Martins23 de outubro de 2020
poliomielite-1280x674.png

1min90

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e a Multivacinação começou no início do mês em todo o país e termina na próxima semana, dia 30 de outubro. As crianças de até cinco anos devem procurar as unidades de saúde do Ceará. A meta é vacinar 510.895 crianças cearenses.

Já a Multivacinação acontece para que crianças e adolescentes menores de 15 anos possam atualizar a caderneta vacinal. Todas as vacinas do calendário básico de vacinação estarão disponíveis nos postos de saúde do Estado.

O objetivo é imunizar mais de 11,2 milhões de pessoas e conscientizar a população sobre a importância da vacina para a proteção contra diversas doenças. O Ceará espera vacinar até 510.895 crianças.

FONTE: Ceará Agora


Wesley Martins22 de outubro de 2020
foto.jpg

1min90

A decisão do presidente Jair Bolsonaro de rejeitar a compra da potencial vacina da chinesa Sinovac contra a Covid-19 gerou, ontem, reações de vários governadores, incluindo Camilo Santana (PT). Os chefes de Executivos estaduais já falam em recorrer ao Congresso Nacional e à Justiça para garantir a vacinação com todos os imunizantes disponíveis.

A potencial vacina da Sinovac, batizada de CoronaVac, é uma das que estão sendo testadas no Brasil em um estudo liderado pelo Instituto Butantan, do governo paulista. Bolsonaro desautorizou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e determinou o cancelamento do protocolo de intenções assinado pelo auxiliar na última terça-feira (20).

“Não será comprada”, respondeu Bolsonaro na sua página no Facebook, diante do comentário de um apoiador que criticou o fato de a vacina da Sinovac ser chinesa. O apoiador afirmou também que a China, maior parceiro comercial e importante destino das exportações agrícolas brasileiras, é uma ditadura.

FONTE: Diário do Nordeste


Wesley Martins21 de outubro de 2020
Image-0-Artigo-2733887-1.jpg

2min100

A três meses do fim de 2020, as vacinas BCG (64%), Pentavalente (78,75%) e da Poliomielite (84,13%), proteção contra doenças como tuberculose, meningite e paralisia infantil, ainda não alcançaram a meta entre os bebês cearenses. Os dados são da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), com parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Saúde, que deve chegar a 255.594 crianças no Estado até o fim de dezembro. Controle dos pais, indispensável mesmo em meio à pandemia, evita quadros delicados.

Logo ao nascer, a dose única da vacina BCG protege contra formas graves de tuberculose, mas foi aplicada apenas em 64% dos bebês cearenses entre janeiro e setembro deste ano. Em 2019, essa imunização ficou em 85,59%, abaixo da meta de 90%, sendo a 1ª vez que o Estado não alcançou a cobertura acima de 100% do público-alvo nos últimos seis anos.

Além disso, os profissionais de saúde precisam estabelecer estratégia para evitar o desperdício das imunizações. Quando se abre um frasco da BCG com 20 doses, a imunização só dura seis horas.

FONTE: Diário do Nordeste


Mário Almeida19 de outubro de 2020
cabeto.jpeg

3min1850

A vacinação em massa contra a Covid-19 pode acontecer até julho de 2021, no Ceará, afirmou nesta segunda-feira (19) o secretário estadual da saúde, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto.

“O estado do Ceará está ligado às ações da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). A nossa vacina que está com a Fiocruz tem previsão pro ano que vem. Quer dizer, a vacinação em massa seria até julho do ano que vem”, afirma o secretário, referindo-se à vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca, que retomou os testes no Brasil na semana passada após suspender atividades devido ao registro de efeitos adversos em voluntários.

Outras opções, porém, não estão descartadas pelo gestor. “O estado de São Paulo tem uma parceria entre o Butantan e um laboratório chinês que está falando que começa a produção em dezembro. Está sendo discutido a nível de Ministério (da Saúde), se nós podemos nos antecipar e usar essa vacina também”, explica.

Em São Paulo, o imunizante, a Coronavac, é desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan. O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse nesta segunda-feira que a vacina é a mais segura das que estão em desenvolvimento, e afirmou que a eficácia do imunizante deve ser comprovada até dezembro.

Fonte: G1/CE


Wesley Martins14 de outubro de 2020
Vacina.jpg

2min130

Por trás dos números em alta escala da Covid-19, o Ceará conseguiu reduzir, até setembro último, os casos de Influenza A (H1N1). Conforme a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), os nove primeiros meses deste ano somaram 19 diagnósticos, enquanto em igual período do ano passado, foram 105. Dessa forma, o intervalo contabiliza uma baixa de 81,9%. Especialistas justificam o recuo com base nos protocolos sanitários adotados para combater o novo coronavírus, que acabaram protegendo também contra a enfermidade sazonal.

Os dados compilados pela Sesa mostram que o mês de março, quando o Ceará confirmou os três primeiros infectados pelo SARS-CoV-2, acumulou o maior número de casos de H1N1, com 11 pacientes em tratamento para a gripe. Já em maio, considerado o pico local da pandemia de Covid-19, apenas um entrou nas estatísticas. Desde então, nenhum outro caso foi anotado, isto é, o Estado está há quatro meses sem novos registros de H1N1. O balanço do mês de outubro ainda está sendo fechado.

Vacina

A cobertura vacinal da H1N1 também influenciou na redução de casos da doença no Ceará, já que mais pessoas foram imunizadas, aponta Mônica Façanha. De acordo com a Sesa, 2.935.485 doses da vacina foram aplicadas neste ano, o que equivale a 96,98% de alcance. Em 2019, o número de doses chegou a 2.564.995, isto é, 94,94% dos grupos prioritários.

Apesar de a dose não proteger contra a doença pandêmica – apenas para outros tipos do vírus influenza -, a Pasta federal antecipou a aplicação em todo o território brasileiro justificando que poderia ajudar profissionais de saúde a diagnosticarem a Covid-19 por eliminação.

FONTE: Diário do Nordeste

Mário Almeida10 de outubro de 2020
comicio-1.jpg

4min1980

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) elaborou um documento com recomendações aos candidatos para evitar novos surtos de Covid-19 no estado. O documento orienta que candidatos não realizem comícios, caminhadas, carreatas e reuniões com grande número de pessoas.

Casos o candidato queira realizar um evento, ele deve seguir as seguintes regras:

  • só será autorizado em municípios que já seguem as regras de protocolos definidos nos decretos estaduais;
  • o limite é de 100 pessoas em ambientes fechados e de 200 pessoas em locais abertos;
  • o distanciamento mínimo entre as pessoas é de 1,5 metro;
  • a realização de eventos deve ser comunicada previamente ao promotor da região e ao promotor da área da saúde.

 

O protocolo recomenda também que os candidatos optem pela realização de “livemícios”, comícios online, feitos por meio de lives, e que seja priorizada a criação de comitês virtuais.

Conforme a secretaria, as normas apresentadas no informe atendem aos protocolos elaborados pelo Governo do Estado e aos decretos governamentais de distanciamento social e uso obrigatório de máscaras.

Proteção da população

 

Além dos candidatos, a Secretaria da Segurança afirma que os eleitores também deve seguir normas de segurança.

“É importante que os candidatos e a população estejam protegidos pelo uso da máscara, pelo distanciamento e, sobretudo, pela higienização das mãos”, reforça Dolores Fernandes, coordenadora da Vigilância Sanitária da Sesa.

Fonte: G1/CE


Wesley Martins8 de outubro de 2020
cultura-G-1280x768.png

6min460

No Brasil

Apesar de os números da pandemia de covid-19 no Brasil indicarem a estabilização dos casos e das mortes ainda em patamares altos, o processo de reabertura econômica e flexibilização do isolamento social segue em todo o país, com a liberação de eventos e atividades de lazer.

No Sul do país, Santa Catarina modificou as regras de hospedagem de hotéis e permitiu a reabertura de casas noturnas, boates, pubs, casas de shows e afins nas regiões que estiverem na classificação de risco potencial moderado.

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro foram autorizados os parques de diversões e casas de shows, com restrição de ocupação, mas as rodas de samba e a permanência nas praias seguem proibidas. Alagoas liberou eventos em ambientes abertos, no Ceará podem retornar os circos e parques infantis, os shoppings e, em Pernambuco, os eventos sociais para até 100 pessoas e cinemas e teatros com ocupação de 30%.

Minas Gerais

Em Minas Gerais, as regiões classificadas na onda verde podem reabrir cinemas e teatros, e Mato Grosso liberou bares, casas noturnas, cinemas e competições esportivas.

Eventos culturais continuam proibidos no Piauí e em Sergipe. O Rio Grande do Sul está todo em Bandeira Laranja e se a situação permanecer assim, pode começar a planejar o retorno presencial de aulas, eventos sociais e atividades culturais. Em São Paulo, atividades culturais e eventos são liberados para regiões que passarem ao menos 28 dias na fase amarela.

Na educação, poucos estados liberaram o retorno do ensino regular às aulas presenciais, como o Ceará fez para o ensino médio e a educação infantil, mas com capacidade reduzida das turmas. O Piauí e Pernambuco autorizaram a volta do 3º ano às salas de aula. Outros definiram os protocolos de retorno, mas não marcaram data, como o Rio de Janeiro, Paraná e a Paraíba. No Rio, apenas o 3º ano do ensino médio poderá voltar este ano. Em São Paulo, a previsão é que as aulas presenciais na rede pública voltem no dia 3 de novembro e no Espírito Santo, a partir do dia 13 de outubro.

Ceará

Em decreto publicado no dia 26 de setembro, o governo do Ceará autorizou o funcionamento, na região de Fortaleza, de quadras e ginásios cobertos, apresentações de circo, eventos automobilísticos sem público, transporte aquaviário sem serviço de bar e parques infantis em shoppings centers com 35% da capacidade.

Desde o decreto do dia 12 de setembro, todas as macrorregiões de saúde do estado estão na quarta fase do Plano de Retomada Econômica. Porém, a macrorregião de Fortaleza está mais adiantada na reabertura, com mais atividades permitidas, conforme decreto do dia 20 de setembro.

Desde 1º de outubro foi permitido, nos 44 municípios da região da capital, o retorno das aulas presenciais para o ensino médio, para o 1º, 2º e 9º anos do ensino fundamental, a educação profissional e de jovens e adultos da rede pública estadual, com 35% de capacidade das turmas. A educação infantil está autorizada nas redes pública e privada, com 50% da capacidade. A Secretaria da Educação vai verificar que escolas poderão retornar, de acordo com os critérios sanitários estabelecidos no decreto.

Nos municípios das regiões de saúde Norte, do Sertão Central e do Litoral Leste/Jaguaribe, foram autorizadas também, desde 1º de outubro, as atividades presenciais de educação infantil na rede privada, com 30% da capacidade; atividades extracurriculares, como cursos de idiomas, músicas e informática, com capacidade total; aulas práticas e estágios do ensino superior. Nessas regiões também estão permitidas apresentações artísticas e shows de humor em barracas de praia e restaurantes, respeitando-se os protocolos sanitários.

Na região do Cariri foi autorizada a ampliação do horário dos shoppings, a operação de ônibus de turismo, jogos profissionais de futebol e parques temáticos com 30% da capacidade.

FONTE: Agência Brasil



Atitude Empreendimentos



Nossas Redes Sociais


FALE CONOSCOCONTATO