Arquivo da categoria: Saúde

CoronaVac: Ceará recebe remessa de 38 mil doses para fornecer a municípios

Um novo lote da vacina CoronaVac desembarcou no Aeroporto de Fortaleza por volta das 22h desta sexta-feira (7). São 38 mil doses que chegam ao Ceará. O imunizante contra a Covid-19 está reservado para aplicação da 2ª dose, já que 45 cidades do estado, incluindo Fortaleza, garantiram que o estoque da vacina havia acabado.

Na manhã de quinta-feira (6), 45 cidades comunicaram à Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) que estão sem estoque da vacina CoronaVac para realizar a aplicação da segunda dose.

“Inclusive, o Estado já havia ganho na Justiça o direito de receber mais doses da vacina para aplicação da D2. Continuamos na luta por mais vacinas para todos os irmãos e irmãs cearenses”, destacou Camilo na postagem de hoje.

 

Veja lista das cidades:

  • Fortaleza
  • Sobral
  • Várzea Alegre
  • Irauçuba
  • Itapiúna
  • Icó
  • Horizonte
  • Missão Velha
  • Barbalha
  • Paraipaba
  • Quixadá
  • Farias Brito
  • Assaré
  • Abaiara
  • Icapuí
  • Orós
  • Cariús
  • Moraújo
  • Cedro
  • Groaíras
  • Itatira
  • Reriutaba
  • Lavras da Mangabeira
  • Quiterianópolis
  • Jucás
  • Piquet Carneiro
  • Forquilha
  • Massapê
  • Alcântaras
  • Marco
  • Canindé
  • Jardim
  • Itapiúna
  • Jucás
  • Nova Russas
  • Palmácia
  • Madalena
  • Paramoti
  • Bela Cruz
  • Nova Olinda
  • Graça
  • Tauá
  • Paramoti
  • Milhã
  • Crato

 

Na terça-feira (4), pelo menos 13 cidades que solicitaram reforço de CoronaVac à Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) começaram a receber os imunizantes, porém as doses não foram suficientes para a demanda das cidades.

Entre elas está Fortaleza, que um dia antes retomou a vacinação com o imunizante. Na ocasião, a secretária de Saúde do município Ana Estela Leite, alertou que, devido ao estoque baixo, apenas as pessoas que estivessem com agendamento prévio deveriam procurar os centros de vacinação da capital.

Fonte: G1/CE

COVID: 14 municípios cearenses podem começar a 3ª fase de vacinação ; dentre eles Irauçuba

terceira fase de vacinação já pode começar em 14 cidades do interior do Ceará, de acordo com a secretária-executiva de Vigilância e Regulação da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), Magda Almeida.

“Atualmente nós temos 14 municípios que já vacinaram mais de 90% dos seus idosos e eles podem progredir com essa terceira fase. Essa terceira fase ela é um pouco mais delicada já que são muitos grupos que começarão simultaneamente. Então nós temos os grupos de comorbidades, temos as pessoas com síndrome de down, gestantes e puérperas que vão começar de forma simultânea”, disse.

 

 

Veja a lista de cidades:

 

  1. Cariré
  2. Catunda
  3. Chaval
  4. Cruz
  5. Iracema
  6. Irauçuba
  7. Pindoretama
  8. Porteiras
  9. Quiterianópolis
  10. Sobral
  11. Tamboril
  12. Tarrafas
  13. Tururu
  14. Várzea Alegre

 

 

  • Grupo da 3ª fase da vacinação no CE deve apresentar atestado, declaração ou relatório médico; confira modelos

A 3ª fase de vacinação da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19 contempla pessoas com comorbidades e deficiência permanente grave. Grávidas e puérperas também vão ser contempladas com a vacinação nesta etapa.

Em vídeo divulgado na semana passada, Magda reforçou que é importante que as pessoas estejam cadastradas na plataforma Saúde Digital, colocando em qual categoria de comorbidade se encaixa.

 

Confira a organização da vacinação
Primeira convocação:
  • Gestantes e puérperas com comorbidades que possuem entre 18 e 59 anos;
  • Pessoas com Síndrome de Down que possuem entre 18 e 59 anos;
  • Pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise) que possuem entre 18 e 59 anos;
  • Pessoas entre 55 e 59 anos com comorbidades, seguindo a sequência definida na comissão; Intergestores Bipartite N°40 (CIB/CE): Cardiopatia; Diabetes; Obesidade IMC>40; Doença Neurológica; Pneumopatias; Doença Renal Crônica; Imunodeficiência e outras;
  • Pessoas entre 55 a 59 anos com Deficiência Permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC).

 

 

Segunda convocação:
  • Gestantes e puérperas, independente de comorbidades, acima de 18 anos
  • Pessoas entre 18 e 54 anos com comorbidades e deficiência permanente.

Também foi definida uma ordem de prioridade entre as pessoas com comorbidades. De acordo com a Sesa, a organização é:

  1. Cardiopatia
  2. Diabetes
  3. Obesidade IMC > 40
  4. Doença Neurológica
  5. Pneumopatia
  6. Doença Renal Crônica
  7. Imunodeficiência

 

 

Documentos necessários

 

Os agendados para receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19 terão que apresentar, no ato da convocação, documentos comprobatórios, além de identificação original com foto, CPF e comprovante de endereço. Aqueles que possuem comorbidades e deficiência permanente devem apresentar, de forma impressa, o atestado, relatório ou prescrição médica indicando o motivo para a aplicação da vacina, com validade de até um ano.

No caso das gestantes, é necessário apresentar um documento comprobatório da gravidez, como o cartão do pré-natal. Já no caso das puérperas (45 dias após o parto), será necessário apresentar a certidão de nascimento do bebê.

 

 

Vacinas da Pfizer

 

As doses da vacina Pfizer/BioNTech que chegaram ao Ceará vão ser aplicadas exclusivamente em Fortaleza, em razão das especificidades de transporte e armazenamento. Elas também vão ser aplicadas, inicialmente, no grupo prioritário da 3ª fase, que envolve pessoas com comorbidades, devido ao quantitativo recebido.

 

Fonte: G1/CE

Saiba quais são as duas únicas cidades cearenses que não tiveram morte por Covid-19 em 2021

Somente as cidades de Granjeiro Umari, ambos no Sul do Estado, não registraram nenhum óbito por decorrência da Covid-19 em 2021. Os demais 182 municípios cearenses (98,92%) tiveram pelo menos uma morte ao longo dos quatro primeiros meses deste ano. Em todo o Ceará, foram 7.634 mortes neste ano. Fortaleza lidera com 3.326, seguida por Maracanaú (330) e Caucaia (316).

Os dados são da plataforma IntegraSus, da Secretaria da Saúde do Estado e foram confirmados pelas Secretarias da Saúde dos dois municípios. Há um mês, eram 4 cidades sem ocorrência de óbitos.

Desde o início da pandemia, Granjeiro  – que tem pouco mais de 4.800 habitantes – registrou apenas duas mortes, ambas em setembro (dias 4 e 17). A cidade é a que possui o menor número de vítimas, seguida por Potengi (3), Guaramiranga (4) e Potiretama.

Granjeiro foi também o último município a registrar óbito, em 2020, pelo novo coronavírus. A secretária da Saúde, Cícera Aderilma Soares Fernandes, atribui a ausência de mortes às “políticas sanitárias ininterruptas” realizadas desde o ano passado.

FONTE: Diário do Nordeste

Ceará: festa de aniversário com 100 pessoas é encerrada pela Vigilância Sanitária

Uma festa de quinze anos realizada em Barbalha, no Cariri, foi encerrada pela fiscalização, na noite deste sábado (2). O evento tinha cerca de 100 pessoas e descumpriu o decreto estadual com medidas de prevenção à Covid-19, que proíbe aglomerações e eventos sociais.

A festa ocorria no distrito de Arajara e foi organizada para receber 150 convidados, entre parentes, amigos e conhecidos, segundo a Vigilância Sanitária.

O coordenador da Vigilância Sanitária de Barbalha, afirmou que o responsável pela festa clandestina foi levado a uma delegacia, onde foi registrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

“Um absurdo no nosso município. Principalmente em um período como esse, estamos em fim de semana, estamos em isolamento social rígido”, disse Carlos Henrique sobre o aniversário.

O servidor ressaltou que eventos como esse continuam proibidos em todo o Ceará. “Só basta uma pessoa aqui estar contaminada, para colocar todos em risco, e a vigilância Sanitária salienta que nós não permitiremos que se descumpra as normas legais e sanitárias destinadas à proteção da saúde”, destacou Albuquerque.

Todos os presentes foram dispersados pela equipe, que incluiu agentes da Vigilância Sanitária de Barbalha, Polícia Militar, Batalhão de Polícia do Meio Ambiente (BPMA) e Demutran.

Fotos do local mostram as mesas com os convidados, alguns sem máscaras, e espaço para decoração e bolo.

 

Fonte: Diário do Nordeste

26 municípios cearenses receberão reforço de CoronaVac para completar vacinação

As doses da vacina contra Covid-19 CoronaVac que chegaram ao Ceará neste sábado (1º) vão ser distribuídas para apenas 26 municípios do Ceará, de acordo com a Secretaria da Saúde (Sesa). O órgão informou que 26 prefeituras solicitaram o reforço extraordinário desse imunizante — em falta em vários locais do Brasil.

 

Confira a lista dos municípios que vão receber doses da CoronaVac:

 

  • Sobral
  • Reriutaba
  • Icapuí
  • Barbalha
  • Irauçuba
  • Farias Brito
  • Moraújo
  • Quixadá
  • Missão Velha
  • Lavras
  • Itatira
  • Fortaleza
  • Icó
  • Horizonte
  • Piquet Carneiro
  • Assaré
  • Várzea Alegre
  • Cedro
  • Orós
  • Jucás
  • Carius
  • Itapiúna
  • Abaiara
  • Quiterianópolis
  • Groairas
  • Paraipaba

 

“Esses foram os municípios que solicitaram o reforço extraordinário à Sesa por estarem sem doses para completar a imunização de parte da população idosa, que já está com atraso na aplicação da segunda dose. Isso ocorreu porque os municípios administraram parte da segunda dose como sendo primeira dose”, informou a Sesa, sem detalhar a lista de cidades.

Fortaleza e Horizonte são os únicos dois municípios que já receberam novas doses. A Sesa informa que as outras cidades vão receber até terça-feira (4), pois a entrega da Coronavac vai junto com a da AstraZeneca. “A Sesa vem cumprindo rigorosamente a distribuição proporcional em todos os envios das doses 1 e 2 vindas do Ministério da Saúde”, garantiu a Secretaria.

 

 

Outras vacinas no Ceará

 

O primeiro lote de vacinas da Pfizer/BioNTech que vai chegar ao Ceará nesta segunda-feira (3) vai ter 17.555 doses. Além disso, o Estado recebe ainda, também nesta segunda, as 255.750 doses do imunizante da Oxford/AstraZeneca que tinha previsão de chegar no fim de semana. As informações foram divulgadas pelo governador Camilo Santana nas redes sociais.

“Receberemos amanhã, em voo previsto para chegar 15h35 em Fortaleza, 255.750 doses da vacina AstraZeneca. Além disso, segundo o Ministério da Saúde, também serão enviadas 17.550 doses da vacina Pfizer, totalizando 273.300 doses na remessa desta segunda-feira”, publicou o governador neste domingo (2).

A última remessas que chegou ao aeroporto da Capital foi neste sábado, 11,6 mil doses de CoronaVac.

Por conta da logística específica com baixas temperaturas, o imunizante da Pfizer será aplicado somente em Fortaleza, seguindo a recomendação do Ministério da Saúde (MS). A vacina vai ser utilizada em pessoas do grupo da 3ª fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19.

Fonte: G1/CE

Ação Civil Pública quer garantir vacina a quem está com 2ª dose atrasada no Ceará

Na manhã deste sábado, 1º, o Ministério Público do Estado do Ceará, o Ministério Público Federal, o Ministério Público do Trabalho, a Defensoria Pública do Ceará , a Defensoria Pública da União e a Procuradoria do Estado do Ceará, ingressaram com ação na Justiça Federal para garantir a vacinação da segunda dose de CoronaVac no Estado do Ceará. As instituições pedem prioridade no envio de 58 mil doses do imunizante pelo Governo Federal, para concluir a aplicação da segunda dose no grupo prioritário (idosos) no Ceará, em pessoas que estão com imunização em atraso.

Em uma ação civil pública (ACP), com tutela provisória de urgência, os órgãos pedem que o Governo Federal adote as medidas imediatas que possam amortecer os efeitos do atraso na aplicação da segunda dose (D2) da vacina CoronaVac (Sinovac/Butantan) no âmbito do Estado do Ceará. A ACP objetiva que seja determinada a reserva e o envio das doses para conclusão do esquema vacinal de todos os já contemplados com a primeira dose (D1) da Coronavac.

Anteriormente, a orientação do Ministério da Saúde era de que 50% dos imunizantes fossem mantidos como estoque de segurança para a segunda etapa da vacinação. Posteriormente, a pasta orientou que deveriam ampliar o número de imunizados, utilizando o estoque de vacinas contra a Covid-19 para a primeira dose da imunização, o que pode ter gerado o desabastecimento.

No documento, as instituições lembram que houve um aumento exponencial por procura de leito, nas redes pública e privada de saúde, para pacientes suspeitos ou confirmados para Covid-19, e mencionam que a orientação emitida pelo Ministério da Saúde contribuiu de “forma decisiva” para o desabastecimento de vacinas.

“Percebe-se, assim, que o órgão federal, que deveria liderar e organizar o plano de imunização, contribuiu de forma decisiva para o desabastecimento de vacina ao recomendar o uso de todas as doses para a primeira imunização, mesmo tendo sido alertado pelos Estados sobre a necessidade de checagem semanal de doses e direcionamento das vacinas para D2”, explica a ACP.

 

Fonte: O Povo

COVID: Grávidas e puérperas com comorbidades vão ser incluídas na terceira fase da vacinação

As grávidas e puérperas que possuem alguma comorbidade vão ser incluídas — e priorizadas — na terceira fase da vacinação contra Covid-19 no Ceará, de acordo com Magda Almeida, secretária Executiva de Vigilância e Regulação da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). Dentro da mesma fase, porém em momento posterior, a vacina deve chegar às gestantes e mulheres que deram à luz há pouco tempo sem problemas de saúde.

A terceira fase da vacinação, que inclui pessoas com comorbidades, deve começar no Ceará daqui a cerca de duas semanas, também de acordo com a secretária. A inclusão das mulheres com essas condições já estava nos planos do Governo do Ceará, e foi reforçada com a publicação de uma nota técnica do Ministério da Saúde.

“No primeiro momento, serão as gestantes com comorbidade, de qualquer faixa etária. E em um segundo momento, as gestantes independentemente de comorbidade ou não”, explicou Magda. Ela revela ainda que as normas com a logística de todas as comorbidades serão apresentadas nos próximos dias.

A secretária pontua também a diferença da vacinação para o grupo de gestantes. “A gente também tem de entender que a [vacinação das] gestantes vai ficar longitudinal, não vai ficar dependente de fase. A medida que a mulher engravide, ela vai ter o direito de procurar os centros e postos de vacinação para se vacinar”, esclarece Magda.

“É importante que a mulher se vacine porque ela vai estar protegendo tanto ela quanto o bebê de futuras complicações e, principalmente, de um parto prematuro”, alerta a representante da Sesa.

O Ceará deve avançar para a terceira fase do Plano Nacional de Imunização (PNI) contra a Covid-19 nos próximos 15 dias, de acordo com Magda Almeida. A próxima fase inclui pessoas com comorbidades, grávidas e puérperas. O avanço foi divulgado nesta terça-feira (27).

“Nos próximos 15 dias, o estado do Ceará espera iniciar a terceira fase da vacinação para Covid-19, que é a fase de pessoas com comorbidades. Os municípios que concluírem a primeira e segunda fase na próxima já poderão evoluir para a terceira fase”, explicou Magda.

Fonte: G1/CE

Curado da COVID, paciente foi extubado no dia do aniversário e família fez surpresa

Após passar 17 dias intubado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), por conta de complicações da Covid-19, Francisco Tales Gomes da Silva teve uma comemoração dupla no dia que completou 40 anos, pois além de deixar a UTI, ganhou uma festa surpresa de aniversário organizada pelos familiares durante a transferência para a enfermaria, na tarde da segunda-feira (26).

Enquanto era levado pelos profissionais de Saúde em uma maca para o novo quarto, o paciente, que está curado da doença, foi surpreendido pela presença da mulher, da filha e de outros parentes, que o aguardavam nas dependências da unidade, onde foi montada uma mesa com direito a bolo, balões e salgadinhos para comemorar o aniversário de Francisco Tales.

O paciente não conteve as lágrimas diante da surpresa e a emoção tomou conta dos profissionais de Saúde, que o aplaudiram por vencer a doença.

“Ele foi um guerreiro e conseguiu vencer. Agradeço a toda a equipe do HGF pelo cuidado. Fomos muito bem acolhidos durante todos esses dias de provações”, comentou a mulher, Daniele Silva.

Como ainda está em recuperação, Tales ficou apenas por alguns segundos no local e, em seguida, foi encaminhado a enfermaria de pacientes sem o novo coronavírus.

Segundo o HGF, o paciente deve receber alta em breve. Ele deu entrada na unidade no dia 28 de março, quando foi internado na enfermaria com Covid-19. Quatro dias depois, o quadro dele piorou e o homem foi transferido para a UTI, no mesmo dia ele foi intubado.

A extubação ocorreu do dia 17 abril, porém Tales permaneceu em tratamento na UTI até a manhã de segunda-feira (26).

 

Fonte: G1/CE

Nordeste registra a menor taxa de mortalidade por Covid-19 entre as regiões brasileiras

Em relatório divulgado pela Organização Panamericana de Saúde (OPAS) no último fim de semana, o Nordeste aparece como a região brasileira que apresentou a menor taxa de mortalidade por Covid-19 nos últimos 30 dias. Ainda segundo pesquisa, que considera dados colhidos até a quinta-feira, (15) dentre os estados da região nordestina o Ceará é o que apresentou o maior valor do índice durante o período avaliado.

Conforme documento, a média apresentada pelo Nordeste foi de 25,1 óbitos a cada 100 mil habitantes, sendo seguida pelo Norte (29,1), Sudeste (42,8) e Sul (55,7). Já o maior número do índice durante esse intervalo de tempo foi identificado no Centro-Oeste, que registrou 56,6.

Quando analisado apenas os estados da região Nordeste, é percebido que Pernambuco teve a menor taxa de mortalidade durante o período, registrando 16,5 mortes em decorrência da doença a cada 100 mil habitantes. Apesar do resultado, a Unidade Federativa vive um momento critico em sua rede de saúde, com um aumento alarmante do número de internações.

Logo após Pernambuco, aparecem com menores índices os estados Maranhão (17), Alagoas (19.9) e Bahia (24.1). Dando sequência ao relatório, estão: Piauí (30.1), Rio Grande do Norte ( 30.2), Sergipe (31.01), Paraíba (32.6) e Ceará (35.7), que dentre todos foi o que apresentou a maior média.

 

 

Análise Nacional

 

 

Em análise geral, a média nacional do índice durante os últimos 30 dias analisados foi de “39,2 casos para cada 100 mil habitantes”. O relatório elenca ainda que o estado brasileiro que apresentou a maior taxa de mortalidade pela doença foi Rondônia, com (69,8).

Ocupando o segundo lugar no ranking das Unidades Federativas que registraram as maiores taxas de mortalidade em decorrência da doença está o Mato Grosso, com 68,6 mil óbitos a cada 100 mil habitantes. Em seguida, estão: Rio Grande do Sul (63,2) e Distrito Federal (62,1).

O Brasil vem registrando recordes de mortes em decorrência da doença há pelo menos um mês, com a média de mais de 3 mil óbitos ocorrendo diariamente. Quadro sanitário é resultante de uma segunda onda da doença, que atingiu grande parte dos estados e pressionou redes de saúde.

Fonte: O Povo

Ceará: anticorpos de lhamas são usados para desenvolver remédio contra Covid-19

A Universidade Estadual do Ceará (Uece) firmou uma parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para pesquisa e desenvolvimento de medicamentos contra a Covid-19 a partir de anticorpos de Ilhamas. A parceria que envolve o Haras Claro e outras instituições do Estado, conta com apoio financeiro da Funcap e Fiocruz.

“Realizamos a coleta do sangue desses animais para a produção de nanocorpos (partículas de anticorpos), que estão sendo utilizados na pesquisa e no desenvolvimento de um medicamento contra a Covid-19. Os anticorpos das lhamas são mais reativos ao Sars-CoV-2, vírus causador da Covid-19. Por isso, são muito promissores para o desenvolvimento de medicamento contra essa doença”, explica o médico-veterinário e vice-reitor da Uece, professor Dárcio Ítalo Teixeira.

A pesquisadora em Saúde Pública da Fiocruz Ceará, Carla Celedônio, explica que animais como lhamas, alpacas e dromedários, por exemplo, produzem anticorpos capazes de reconhecer de forma mais eficiente antígenos diversos, sejam antígenos virais, sejam toxinas animais, o que amplia a possibilidade de utilização no tratamento de uma série de doenças, inclusive a Covid-19.

“Nanocorpos são as menores frações de anticorpos capazes de reconhecer e neutralizar um antígeno. Os nanocorpos possuem cerca de um décimo do tamanho do anticorpo inteiro, da imunoglobulina G. A partir do momento que identificarmos o nanocorpo de interesse, suas propriedades, como afinidade e solubilidade, são melhoradas em laboratório para viabilizar a formulação de um medicamento. Esses insumos podem ser usados tanto para a terapêutica como para o diagnóstico da doença”, diz.

O estudo foca em viabilização de medicamentos para outras doenças, além da Covid-19. “Neste momento, a gente está desenvolvendo nanocorpos contra o coronavírus, mas também buscamos esses insumos para o combate a outras doenças, como febre amarela, zika, chikungunya, toxinas ofídicas, de importância para o Brasil”, afirma Carla Celedônio.

Fonte: G1/CE